resenha

Tag

[Resenha] Wicked – Gregory Maguire

“As pessoas que se dizem más normalmente não são piores do que o resto de nós. É com as pessoas que dizem que são boas ou melhores do que o resto de nós que devemos nos preocupar.”            Wicked me fez odiar o O Mágico de Oz, tanto o mágico em si quanto a população inteira a Terra de Oz. Então se você não quer acabar com sua linda visão da história de O Mágico de Oz, não leia Wicked. É bom dizer que o livro de 95 não é uma história oficial, não foi o próprio Lyman Frank Baum quem escreveu. O autor da vez, Gregory Maguire, se apropriou da história...

The Get Down: único seriado possível em 2016

Ano passado quando assisti o teaser de The Get Down eu fiquei louca. UM SERIADO SOBRE DISCO MUSIC? BERRO, GRITO, TIRO, BOMBA. Fui nascida e criada escutando Earth, Fire and Wind, Aretha Franklin, Diana Ross (obrigada, pai!), sou apaixonada por todo o contexto que envolve a cultura disco: valorização da estética e musicalidade negra. Fiquei mais ansiosa depois de saber que seria o diretor Braz Luhrmann contaria aquela história. Quando todo mundo achou que ninguém poderia contar a tragédia de Romeu e Julieta, Braz inovou ambientando a história de forma contemporânea, com muitas pistolas e perseguições de carros, mas mantendo a atmosfera apaixonada e política da peça. Quando hollywood achou...

Nós deveríamos todos ser feministas

Nós deveríamos todos ser feministas

Eu me tornei fã da escritora Chimamanda Ngozi lá em 2010, quando a assisti pela primeira vez no TED Talk, com uma fala intitulada “O Perigo de uma única história”. A fala dela é maravilhosa, e nos faz refletir sobre as imposições culturais e estereótipos que limitam e pré-definem nosso conhecimento. No entanto, foi a segunda palestra dela, que assisti alguns anos depois, que se tornou tão importante para mim. O discurso dela: claro, direto e tão didático, me fez compreender melhor sobre a importância da luta das mulheres. Em “Nós deveríamos todos ser feministas”, a autora desmistifica o termo feminista, ainda tão carregado negativamente, também conta sobre sua infância...

[Resenha] ABC de Fernando Pessoa

“Nunca amamos ninguém. Amamos, tão-somente, a ideia que fazemos de alguém. É a um conceito nosso – em suma, é a nós mesmos – que amamos” Fernando Pessoa foi um escritor português que viveu entre 1888 e 1935 conhecido não só por seus poemas, mas também prosas. É  daqueles poetas que sempre ouvi falar, mas que nunca tive interesse o suficiente para parar e ler, talvez por receio mesmo, já que poesia nunca foi o meu forte. O livro ABC de Fernando Pessoa parece ter sido feito justamente para pessoas como eu, que precisavam se iniciar na poesia de um jeito ou de outro. E posso dizer que lê-lo foi uma surpresa...

Série Love – Netflix

A Netflix está arrasando com as sérias próprias. A bola da vez é a série Love, uma comédia romântica com pitadinhas leves de drama que conta a história de Mickey e Gus, dois adultos que acabaram de entrar na faixa dos 30 que se conhecem por acaso logo após  terminarem seus respectivos relacionamentos. Mickey é apresentada como a garota descolada que trabalha em uma estação de rádio, usa drogas, bebe, fuma e é  aquela bagunça de  pessoa sem estabilidade emocional que acaba sendo vista como descolada e cool. Já Gus é o típico nerd  tímido e fã de cinema que mal bebe, é bonzinho e trabalha como professor no set...

Tá todo mundo mal – Jout Jout

jout jout

Ler o livro da Jout Jout é igual assisti-la em seus vídeos no Youtube, a gente se sente em uma conversa de bar onde ela conta, tranquilamente, suas neuras mais profundas e rimos porque é exatamente assim que nos sentimos. A youtuber de apenas 25 anos acaba de lançar seu primeiro livro, “Tá Todo mundo Mal” e , como não poderia deixar de ser diferente, é sobre ela, assim como a maioria dos livros de youtubers famosos que vêm sendo lançados a quilos no mercado editorial. O diferencial, ao meu ver, é que Jout Jout optou por não escrever exatamente sua biografia – o que achei ótimo, e o mais legal:...