5 favoritos!

É bem difícil escolher somente 5 livros para colocar nessa lista de favoritos. Mas como posso fazer várias listas desse mesmo tipo sempre que eu quiser então a coisa fica um pouco mais fácil. Os cinco citados abaixo ocupam um lugar de destaque na minha estante. E sempre que eu posso indicá-los, acabo fazendo com muito gosto. Se você leu algum deles e não gostou, não me conte, porque isso vai cortar o meu coração (brincadeira) hahaha.

Peter Pan Escarlate

Peter Pan Escarlate: Essa é a continuação oficial do livro ”Peter and Wendy” de J.M Barrie. A autora de ”Peter Pan escarlate” ganhou os direitos de escrever a continuação desse grande sucesso através de uma competição autoral – Sortuda! – feita pelo GOSH (hospital que tem os direitos autorais das personagens do livro). Na minha opinião ela não deixou nada a dever para o livro original. Não achei melhor que o primeiro, que fique claro, mas sua criatividade e bom humor não deixaram que Peter Pan perdesse a magia. Foi tão bom ‘rever’ personagens que me acompanharam pela minha infância inteira, e que eu tenho um carinho muito grande. A trama é envolvente, e por vários capítulos eu tive a vontade de que a leitura fosse como nos sonhos de cada um deles, e que eu pudesse ir a terra do nunca e voltar com uma lembrança… Quem sabe trazer a Sininho só para minha pessoa :mrgreen:. Em falar em sininho… O sucesso subiu a cabeça dela nessa continuação. Falo mesmo! haha Eu tenho tanta razão que depois desse livro ela só fez filmes sozinha né? rs

Fazendo Meu Filme

Fazendo Meu Filme – Fani na Terra da Rainha: Esse é o segundo livro da série escrita pela autora Paula Pimenta. Em FMF acompanhamos a estória da adolescente Fani. E nesse em específico, ela vai fazer intercâmbio na Inglaterra (MEU SONHO!). Eu sou um desesperado por tudo que envolve intercâmbio, então esse livro foi uma delícia de ser lido. Esse também se tornou o livro da série que eu mais gosto, não só pelo fato de que meu personagem preferido tenha entrado na trama a partir dele, mas sim pela estória ser tão boa e viciante, que eu me senti órfão quando o livro acabou.

Perdida

Perdida: Depois de deixar seu celular cair na privada, Sofia decide comprar um novo aparelho o mais rápido possível; afinal de contas ninguém hoje em dia fica sem tecnologia. Mas o que ela não sabia era que o seu novo brinquedinho fazia muito mais que ligações. Ao usá-lo pela primeira vez, ela é transportada para um século que sempre a fez suspirar em seus livros de romance. Mas qual é o verdadeiro motivo dessa louca (pra não dizer impossível) viagem? Isso Sofia só descobre depois de passar de um tudo em seu “novo lar”, e você só descobre lendo, MAOE! Eu sempre quis ler esse livro. Engraçado que quando eu via a capa dele nos blogs eu achava que era um livro de fora, e não de autor brasileiro. E fiquei muito feliz quando soube que era o contrário. E o mais legal disso tudo é que o livro está para virar filme e a Carina Rissi já escreveu a continuação dele.

Todo Garoto Tem

Todo Garoto Tem: Jane Harris uma psicopata neurotica, cartunista solteirona e divertida é convidada para ser madrinha de casamento da sua bff Holly. Detalhe: o casamento vai ser no interior da Itália porque os noivos estão se casando as escondidas, devido a uma incompatibilidade causada pela religião da família deles #romeuejulietafeelings. O negócio é que como Holly chamou sua bff Jane, Mark (o noivo em questão) chamou seu big brother Carl Langdon, e como nada é perfeito, o que acontece? Jane e Carl se estranham desde o primeiro momento, fazendo assim com que a gente dê boas risadas o livro inteiro haha Mas mal sabem eles que os dois opostos vão ter que se unir para salvar o casamento de seus melhores amigos. Será? será? haha. E depois disso tudo você me pergunta: ‘E o que isso tem a ver com o título?’ – hm, então não posso falar haha é a melhor parte de se descobrir lendo. Ai, Meg Cabot  😛 Ainda estou esperando você escrever outro livro tão bom quanto esse e que me marque da mesma forma.

O céu está em todo lugar

O Céu está em Todo Lugar: Depois da morte repentina de sua irmã de 19 anos, Lennie tenta superar a dor com a ajuda de sua avó e seu tio. Sua vida feliz, regada a livros e música já não faz mais sentido. Em meio à angústia, surge um sentimento inesperado para alguém que acabou de perder um ente querido: a paixão. Paixão, antes devotada somente aos personagens dos seus livros favoritos, agora é real e avassaladora, deixando-a confusa e extasiada. Toby, o ex namorado de sua irmã falecida, e Joe o galã da cidade, irão bagunçar as emoções dela. Um a deixa feliz, e o outro a consola. Qual deles Lennie Walker vai escolher? Já deu pra sentir o nível da leitura né? Esse livro é lindo! Tanto a estória dele como a diagramação. Super recomendado para os corações apaixonados!

Diga o que achou do post

More about Nicholas Calábria

Comments

  1. Acho que vc deveria colocar para qual faixa etária se destinam estes livros, achei bem teen, ou como se dizia antigamente “infanto juvenil”. Eu como adulta (que lê muito) não me aventuraria por nenhum deles.

  2. Acho que vc deveria colocar para qual faixa etária se destinam estes livros, achei bem teen, ou como se dizia antigamente “infanto juvenil”. Eu como adulta (que lê muito) não me aventuraria por nenhum deles.

    Paulinha on 7 de outubro de 2013 at 12:27 said:

    Oi, Paulinha! Tudo bom? Então, eu sou contra esse lance de faixa etária com livros. Parto do pressuposto de que você pode ler o que você quiser, desde que aquilo seja do seu agrado. E de fato, os livros citados são do gênero young adult. E muitos adultos (assim como eu) os leem sem nenhum problema. Também leio muito e não tenho vergonha de admitir que tenho uma queda por esse gênero literário. E assim como você, que leu a minha “mini” resenha e pode averiguar qual o público que o livro melhor atende, creio que as outras pessoas também conseguem perceber só de ler a sinopse. Então a “faixa etária” fica subentendida aí. E livro é muito (muito mesmo) gosto pessoal. Abraço!

  3. Acho que vc deveria colocar para qual faixa etária se destinam estes livros, achei bem teen, ou como se dizia antigamente “infanto juvenil”. Eu como adulta (que lê muito) não me aventuraria por nenhum deles.

    Paulinha on 7 de outubro de 2013 at 12:27 said:

    Oi, Paulinha! Tudo bom? Então, eu sou contra esse lance de faixa etária com livros. Parto do pressuposto de que você pode ler o que você quiser, desde que aquilo seja do seu agrado. E de fato, os livros citados são do gênero young adult. E muitos adultos (assim como eu) os leem sem nenhum problema. Também leio muito e não tenho vergonha de admitir que tenho uma queda por esse gênero literário. E assim como você, que leu a minha “mini” resenha e pode averiguar qual o público que o livro melhor atende, creio que as outras pessoas também conseguem perceber só de ler a sinopse. Então a “faixa etária” fica subentendida aí. E livro é muito (muito mesmo) gosto pessoal. Abraço!

    Nicholas on 7 de outubro de 2013 at 15:00 said:

    Livros Young Adults e Chick-lits *

Leave a Reply