plus size


19/08/15
Eu não me vejo, e você?

Passei uma semana sem postar aqui, em pleno BEDA, e eu peço desculpa a vocês e a mim mesma, pois esses dias me deixei abater um pouco, me senti sem forças, acho que todos nós passamos por isso em algum momento da vida, é normal, a gente só não pode deixar isso fazer parte, ser uma constante e não apenas uma exceção. 😉

Não teve post aqui, mas uma coisa que eu não pude deixar de fazer por compromisso com vocês, foi deixar de postar as mensagens/frases, que posto todos os dias no Instagram e Facebook. Por mais que eu estivesse desmotivada, sei que as mensagens fazem muita diferença positiva no dia de vocês girls. Sei disso pelas mensagens que recebo no inbox da página, nos comentários, e até nos likes e compartilhamentos. Por isso, os “quotes” do Garotas não falharam.

Mas o motivo do meu desânimo momentâneo é também o motivo desse post. Semana passada recebi duas revistas em casa, uma local da minha cidade, e uma de uma marca de calçados de plástico que está lançando coleção nova.

Eu-não-me-vejo-e-você

Eu não me vejo, e você?

Folheei as revistas da primeira a última página, na primeira revista, não encontrei ninguém com manequim acima do 40, e não estou falando dos editoriais de moda, me refiro a matéria de street style, que supostamente foi feita nas ruas da cidade mostrando a diversidade de estilos. Mas de diversidade não tinha nada ali, eram pessoas brancas, magras, descoladinhas (odeio essa palavra), e só! Parecia que quem fez a matéria reuniu seu clubinho, pediu pra vestirem suas roupinhas mais hipsters e fotografou como moda de rua, e isso é qualquer coisa, menos moda de rua. Nas ruas você vê diferentes idades, corpos e etnias, vê classes sociais, vê estilos, ou seja, a rua ainda é democrática, mas a matéria foi higienista e isso é triste.

Eu-não-me-vejo-e-você

Na segunda revista, a dos calçados de plástico, o foco são mulheres jovens, entre adolescentes a moças de uns 25 anos, imagino. E assustadoramente, para essa marca só existem moças dessa faixa etária brancas, magras e de preferência loiras naturais ou tingidas. E isso também é muito triste, pois é um produto popular, todo tipo de mulher dessa idade costuma consumir, e essas meninas, essas moças, não se veem ali, não acham que são bonitas ou dignas de estarem ali representadas. Fico triste de a essa altura de 2015, ainda termos que apontar esse tipo de preconceito na mídia e na publicidade.

Eu-não-me-vejo-e-você

Isso se juntou a algumas outras decepções e me deixou pra baixo, desestimulada de blogar, de passar uma mensagem que aparentemente poucas pessoas querem ouvir. E que algumas das que ouvem, batem palminhas, acham bonitinho a gente falar de inclusão, mas na prática, nas suas vidas, no seu trabalho, nas suas marcas e mídias continuam perpetuando os mesmos padrões, preconceitos e estereótipos.

E esse tipo de coisa me atinge duplamente, pois me exclui como pessoa e mulher, e ainda por cima fecha portas para mim como blogueira e formadora de opinião.

Ah, mas Helena, tem muita marca plus size, tem revista especializada nisso, outro dia a Ju foi capa de revista. Sim gente, é verdade que algumas coisas estão acontecendo, algumas de nós estão sendo ouvidas e nos representando muito bem, mas são casos isolados. Esse tipo de mídia e publicidade que nos exclui é majoritária, e eu ainda vejo essas ações pontuais e isoladas como medida paliativa para manter vendas, não um real compromisso com a inclusão e quebra de padrões.

Muita gente pode vir falar para eu procurar e prestigiar quem nos inclui e deixar para lá quem não quer saber da gente. E sim, eu já prestigio, divulgo e consumo quem faz moda para mim, quem me enxerga como consumidora e como mulher inteligente e com estilo. Mas nem eu nem vocês podemos fechar os olhos para essa maioria esmagadora de falta de representatividade da mulher comum, da mulher gorda, da negra, da mais velha, da deficiente.

Enquanto eu puder eu vou meter o pé nessa porta, não querem nos deixar entrar, não querem nos ver, não querem nos contratar, nem nos ouvir. Mas vão sim ter que engolir, pois eu, nós, vamos descer goela abaixo, vamos pular o muro e vamos entrar. Me recuso a viver apenas no gueto, na zona de conforto que são as revistas, marcas e grupos plus size e feministas, elas são importantes sim, mas nossa voz tem que ir além, tem que chegar na menina que consome o sapato de plástico, na mulher que anda nas ruas.

É… parece que o desânimo passou, tô de volta e tombando tá mores?

via GIPHY
beda

 

Postado por Helena Sá

Veja também

09/05/16
Sandália com meia

sandália-com-meia

Sabe aquela combinação que você pensa na sua cabeça e que de nenhuma maneira imagina que vai dar certo? É o caso desse look de Sandália com meia.

Apesar de eu achar lindas essas meias estampadas que são feitas para ficarem aparentes (são mesmo para você mostrar), não sabia se na prática ia dar certo ou ficar uma marmota. 💩

Mas né, se as fashionistas das gringas podem, por que não eu? Aliás, essa coisa de usar meia com sandália é muito anos 90, não acham?

sandália-com-meia

Por isso escolhi um vestido preto simples, reto e de algodão, e um cardigan discreto também, pois sabia que o destaque estaria nos pés.

sandália-com-meia

Quando comprei essa sandália, já foi pensando na possibilidade de usá-la no inverno com meia, e poderia ser assim meia soquete como essa, ou meia calça, então aguardem outros looks com ela.

As meias eu comprei pensando em usar assim também, já estou pensando em outras formas de usá-las aparecendo no look. Adorei essas bananinhas no fundo azul turquesa. Agora estou em busca de meias com unicórnios.

sandália-com-meia

O inverno esse lindo que mantém as makes sempre em cima, sem derreter. Escolhi o batom vinho para combinar com o cardigan e fazer jogo com o cabelo.

sandália-com-meia

Amei essa foto, vento batendo, o look todo lindo, e eu lá segurando o carão. 💃

sandália-com-meia

Pensativa, olhar fixo no horizonte, qual o sentido da vida? Não, a gente não via a hora de almoçar na verdade! 😅

Eu usei:

  • Vestido de malha, Renner;
  • Cardigan listrado, Havan (sessão masculina);
  • Sandália rosa, Petite Jolie;
  • Meia de bananas, Foo Socks.

Mais um look que entra para a lista do amor, e esse fica também para quem quer ousar, para quem quer dar cor ao look que está sem graça, para versatilizar um visual que já usou muito e quer dar um toque diferente…

Quero saber de vocês agora: vocês usam ou usariam sandália com meia?

Créditos:

  • Fotografia: Mateus Aguiar;
  • Maquiagem e produção: por minha conta.
Postado por Helena Sá

Veja também

27/04/16
Oxford com vestido

oxford-com-vestido

Finalmente o outono deu as caras, e a gente pode sentir um ventinho de leve, pelo menos aqui na minha cidade. No sul do país já tá fazendo frio, que inveja!

E para quem está sentindo a brisa chegar, mas ainda de leve, esse look de Oxford com vestido é perfeito, pois a camisa de flanela te protege do frio e se o sol pegar você tira e pronto, não passa calor.

oxford-com-vestido3

Mix de estampas é comigo e vocês sabem disso, e esse tá uma graça com o floral do vestido conversando com a camisa xadrez de forma muito amigável. Pra dizer a verdade esse conjunto é BFF, não acham?

Plus-size

Como o look já é bastante colorido, dispensei acessórios, e o cabelo combinou com a camisa, adorei! E com esse friozinho chegando, dá pra ousar mais na maquiagem, fiz um olho mais escuro e o bocão tava rosa, porém na foto ficou mais vermelho.

oxford-outono

O Oxford nude com detalhes em amarelo, esse lindo que lacrou na combinação com a bolsa. 💜

Além disso, achei que ficou tão fofo esse visual de Oxford com vestido, ficou primavera um pleno falso outono brasileiro, misturei as estações todas! 😛

oxford-com-vestido5

Meus óculos amados de madeira em estilo cat eyes completaram a lindeza desse look.

Eu usei:

  • Oxford nude, Bottero;
  • Vestido floral, C&A;
  • Camisa xadrez, Renner (sessão masculina);
  • Óculos de madeira, Ybirá;
  • Bolsa amarela, C&A.

oxford-com-vestido

Esse look tá puro amor e versatilidade minha gente! A vontade é arrancar a roupa que eu to vestindo agora e vestir ele de novo. 💜

E o mais legal dele, é que não fica difícil reproduzir, tá? Junta um vestido floral é uma camisa xadrez aí no armário de vocês, e vejam a mágica acontecer! O toque especial foi o oxford, que pra mim é um clássico que nunca morre.

E aí? Curtiram o look e as dicas? Quem se inspirar marca a #garotasrosachoque pra eu ver! 😉

Créditos:

  • Fotografia: Mateus Aguiar;
  • Maquiagem e produção: por minha conta.
Postado por Helena Sá

Veja também

11/04/16
Sobreposições: dicas de uso para as gordas

No post sobre Armário Cápsula plus Size eu comentei que eu e muitas moças gordas gostam de usar bastante as sobreposições. Coletes, quimonos, cardigãs, camisas, boleros, camisetas, Blazers, jaquetas…

Tanto no verão, quanto no inverno, a gente usa muito, e não apenas para nos escondermos, simplesmente porque sobreposições dão um charme ao look, seja ele de uma gorda ou de uma magra, se a sobreposição for bem feita, fica lindo, traz estilo e atitude ao visual.

Mas tem também as mulheres gordas que ainda tem um pouco de receio de usar sobreposição por achar que vai aparentar ser mais gorda, maior, o que não acontece. E se acontecer, qual é o problema? Parecer maior não é ruim, vamos parar de pensar que magro, petit, pequeno é sempre bom e que grande é ruim para mulheres. 😉

sobreposições

Aprendi muito cedo a usar sobreposição, tenho queratose pilar, que deixa meus braços cobertos de bolinhas vermelhas, por isso sempre tive vergonha de mostrá-los, só usava camiseta quando estava bronzeada, pois aí as bolinhas ficavam camufladas.

Mas teve um lado bom nisso, pois acabei estimulando a minha criatividade ao combinar peças para sempre usar mangas.

sobreposições-plus-size

A sobreposição traz ainda a possibilidade de milhares de looks diferentes usando as peças de roupa que você já tem.

Um vestido vira uma saia combinado com uma camiseta, suéter ou camisa por cima. Uma camiseta sem mangas, ganha mangas coloridas com um bolero e coletes por cima. Não tem limites para sua imaginação quando você mistura peças que supostamente deveriam ser usadas de outra maneira, fica diferente, inusitado, e você ganha em visuais diferentes sem comprar mais nada.

gordas

Ah Helena, mas eu não tenho criatividade para isso, não sei misturar estampas, não sei o que cai bem com o que…

Gente, vai no armário, pega um vestido, depois começa a combinar com todas as camisas, camisetas, suéteres e afins que você tenha. Pronto! Você com certeza vai tirar daí algumas combinações que não imaginava serem tão legais. Agora é só ir aos poucos fazendo isso com todas as suas peças de roupa e acessórios também.

E aí, deu certo? Quero saber quem já faz sobreposição com pé nas costas e pode vir dar dicas pra gente nos comentários. E quem foi no guarda roupas e conseguiu fazer uma sobreposição legal, vem contar aqui! 😉

Postado por Helena Sá

Veja também

06/04/16
[TAG] Quando eu era TROUXA

tag quando eu era trouxa

O primeiro vídeo dessa nova fase do canal do Garotas no Youtube está no ar! \o/

E para começar de leve, criei uma TAG que eu achei muito legal responder e tenho certeza que pode dar em muito vídeo engraçado e legal tanto pra rir, quanto pra aprender com a trouxice alheia.

A TAG se chama Quando eu era TROUXA, mas isso não significa que eu nem vocês não sejamos ainda uns completos trouxas nessa vida. É só que a gente aprendeu um pouquinho com os papéis de trouxa que a gente fez, ou não! 😀

O vídeo tá aí com 6 papéis de trouxa que eu já fiz com maestria! Apertem o  PLAY.

Espero que as minha mancadas sirvam pra inspirar vocês a não fazer o mesmo, e se tão fazendo, que parem já!

Outra dica pra não ser trouxa é SE INSCREVER NO CANAL do blog, porque vai ter vídeo novo toda quarta-feira!

E aí gente, vocês tem coragem de me contar que moles já deram nessa vida quando eram trouxas?

Postado por Helena Sá

Veja também

04/04/16
Armário cápsula dá certo para gorda?

Armário cápsula plus size

Há alguns meses a Gabi me convidou para o grupo “Em busca do armário cápsula“, que ela criou no Facebook. A partir daí fui aprendendo mais e mais sobre o assunto. E para começar vou explicar o que é para vocês:

O que é o armário-cápsula, afinal?

O armário-cápsula é um método que busca um maior autoconhecimento e, consequentemente, menos consumismo. Consiste em criar uma base de roupas versáteis e que amamos e complementar com outras peças mais atuais, que combinem com o clima. (Gabi Barbosa)

Quem quiser saber mais sobre os conceitos de armário cápsula, entra no grupo pelo link. Mas a proposta também é estabelecer um número fixo de peças para cada estação (fala-se muito em 40 peças), doando ou vendendo o que não usa mais e guardando as peças que são de outra estação a parte, pode ser numa mala ou caixa no guarda -roupas. Assim você só se foca naquelas 40 peças e usa a criatividade para fazer combinações diferentes e versáteis aproveitando tudo e usando tudo.

Mas a grande questão é: armário cápsula dá certo para gordas? Ah Helena, é claro que dá, é a mesma coisa, não tem diferença nenhuma. Bom gente, sinto dizer que tem sim, e muitas, mas a boa notícia é que dá sim para montar um armário cápsula plus size bonito e funcional, é só a gente adaptar para essas diferenças:

  • Primeiro que a maioria de nós, principalmente as mulheres que vestem acima do 50, não tem roupa barata à disposição, e quem veste acima do 56 não encontra nem cara nem barata, tem que mandar fazer. Por isso, o armário dessas meninas acabam já sendo uma cápsula de forma definitiva. Nesse caso o AC viria a ser útil mesmo como uma forma de trabalhar a criatividade, investir em acessórios e combinações para não ficar sempre igual.

“Eu não acho interessante se apegar a esse conceito de que armário cápsula precisa ser montado por estação, principalmente no meu caso, moro em Salvador e aqui a gente tem “verão” e “verão com casaquinho”, que é quando chove ou rola um friozinho mixuruca, rs. Acho essa ideia de fazer por estação pouco adaptável pro meu caso. Pensei em fazer um AC pro ano todo, e sei que muitas meninas aqui do Brasil estão começando a fazer assim também. As vezes parece que só pessoas muito consumistas “precisam” fazer armário cápsula, mas nem sempre é esse o caso, acho que pra mim foi mais um processo de autoconhecimento mesmo, de parar de comprar por impulso e parar de comprar coisas das mais variadas, tentar fazer mais com menos e ter uma certa coerência no armário.” (Leíse Filgueiras)

  • Nossas roupas costumam desgastar mais rápido, principalmente em áreas de atrito, como entre as coxas e debaixo dos braços. Por isso, se o número de calças de um AC convencional são 4 calças para um período de uma estação (3/4 meses), no AC Plus Size é melhor ter pelo menos mais uma calça, principalmente se você for uma pessoa que usa muito. Pois a gente sabe, que as nossas calças jeans tem vida útil muito menor, principalmente se não intercalarmos o uso. E isso vale para camisetas e sapatos também, pois entram nessa da vida útil menor.

Armário cápsula dá certo para gorda

  • Mais peças de sobreposição: um detalhe muito importante é que muitas minas gordas que eu conheço curtem uma sobreposição, no meu caso e no de muitas delas os motivos são; gordas com look muito básico é vista como desleixada (absurdo, mas é), e sim, ainda temos o complexo de exibir o braço roliço ou as dobrinhas nas costas. É tudo uma questão de preconceito e insegurança com o corpo? Talvez em parte! Mas por isso tudo, temos que acrescentar ao AC Plus size pelo menos mais umas duas camisas e dois casacos/cardigãs para sobreposição de camisetas.
  • Também é importante transpor a barreira do gorda pode isso e não pode aquilo: a nossa criatividade ao nos vestirmos sempre foi muito podada por essas regras ridículas que nos impomos e que outras pessoas também pressionam. Conheço meninas gordas que só usam roupa escura, ou que não usam nada curto, estampado, listrado… todos esses NÃOS que sempre nos foram enfiados goela abaixo, prejudicaram e prejudicam muito na hora da gente ousar, tentar ser versátil no nosso modo de vestir e fazer combinações.

Tô desenvolvendo meu estilo nesses últimos tempos e acho SUPER possível viver com 40 peças de roupa. O Slow fashion é mara pra pensar nisso. O maior problema pra mim é achar peças do meu tamanho que sejam básicas pq a imensa maioria de roupas plus size sempre tem um brilho, estampa ou aplicação horrível que não combina com quase nada. (Beatriz Lima)

  • Outra situação muito importante a se considerar é a questão do consumismo. Mulheres gordas só recentemente passaram a ter mais opções de roupas modernas, tendências e até mesmo roupas clássicas como um bom jeans. Há 5 anos não se sonhava com moda bonita plus size, daí que agora que começamos a engatinhar e ter um leque maior de estilos para desfilarmos por aí, vem as magras que já deitam e rolam nas tendências e falam: ai que consumista, para com isso! Meu, a gente roda o shopping, as ruas e a internet toda atrás de uma boa calça jeans que não custe os olhos da cara, daí encontra e quer comprar 10 de uma vez pra garantir, não tem jeito. 😀
  • Um outro princípio do Armário Cápsula, é procurar investir em peças de boa qualidade mais caras, e menos em peças baratinhas e quase descartáveis. Essas peças de qualidade superior são mais caras no manequim padrão, no manequim plus size o fast fashion já vem mais caro, e as de uma qualidade um pouco maior então, lá se vão 400 reais em um jeans, que por mais qualidade que tenha, vai desgastar rapidamente entre as pernas, como já comentei acima.

Eu fiquei um ano sem comprar em 2014 e tou fazendo agora de novo. Acredito que um número X de peças curingas seja muito melhor do que ficar trocando o guarda roupa a cada coleção… (Raissa Kahn)

Dito tudo isso, a gente conclui que sim, o armário cápsula dá certo para gordas, e mais, nós já o praticamos, a maioria de nós já aprendeu a viver e ser versátil com poucas peças. O que falta agora é conseguirmos encontrar roupas duráveis e a um preço justo para os nossos corpos.

Quero agradecer as leitoras e também companheiras do grupo Gordofobia Não, que me ajudaram muito com ideias e opiniões, algumas delas aí no post citadas.

Agora é a hora mais importante, saber a opinião de vocês sobre tudo isso!

Postado por Helena Sá

Veja também

23/03/16
RENNER lança linha PLUS SIZE

renner-lança-coleção-plus-size

Pois é isso mesmo que vocês leram, a Renner lança linha plus size semana que vem no dia 30/03 e pelo que aparece no final do vídeo, vai ter um  e-commerce especial para a linha, mas provavelmente em breve as lojas físicas terão também a linha chamada Ashua Curve Size.

E para divulgar esse lançamento a marca postou esse vídeo que eu achei uma graça tanto nas peças e nas modelos, quanto na mensagem.

As peças tem um estilo mais clean e “adulto”,  pelo menos no que deu pra ver no vídeo. Ainda não tenho informações sobre a grade de tamanhos, mas se é uma linha específica plus size, esperamos que  venha bem ampla, não é mesmo?

renner-lança-coleção-plus-size

renner-lança-coleção-plus-size

Ainda não é o que a gente quer, que é ter uma grade maior em todas as coleções das lojas, com peças do estilo jovem ao mais social em nossos tamanhos. Mas mostra que temos força e o mercado está tendo que se abrir e atender nossas demandas.

Quem quiser conferir as novidades sobre esse lançamento, já tem uma página no Facebook especial para a linha.

O que vocês acharam  desse lançamento? Quero opiniões já!

Postado por Helena Sá

Veja também