moda


19/08/15
Eu não me vejo, e você?

Passei uma semana sem postar aqui, em pleno BEDA, e eu peço desculpa a vocês e a mim mesma, pois esses dias me deixei abater um pouco, me senti sem forças, acho que todos nós passamos por isso em algum momento da vida, é normal, a gente só não pode deixar isso fazer parte, ser uma constante e não apenas uma exceção. 😉

Não teve post aqui, mas uma coisa que eu não pude deixar de fazer por compromisso com vocês, foi deixar de postar as mensagens/frases, que posto todos os dias no Instagram e Facebook. Por mais que eu estivesse desmotivada, sei que as mensagens fazem muita diferença positiva no dia de vocês girls. Sei disso pelas mensagens que recebo no inbox da página, nos comentários, e até nos likes e compartilhamentos. Por isso, os “quotes” do Garotas não falharam.

Mas o motivo do meu desânimo momentâneo é também o motivo desse post. Semana passada recebi duas revistas em casa, uma local da minha cidade, e uma de uma marca de calçados de plástico que está lançando coleção nova.

Eu-não-me-vejo-e-você

Eu não me vejo, e você?

Folheei as revistas da primeira a última página, na primeira revista, não encontrei ninguém com manequim acima do 40, e não estou falando dos editoriais de moda, me refiro a matéria de street style, que supostamente foi feita nas ruas da cidade mostrando a diversidade de estilos. Mas de diversidade não tinha nada ali, eram pessoas brancas, magras, descoladinhas (odeio essa palavra), e só! Parecia que quem fez a matéria reuniu seu clubinho, pediu pra vestirem suas roupinhas mais hipsters e fotografou como moda de rua, e isso é qualquer coisa, menos moda de rua. Nas ruas você vê diferentes idades, corpos e etnias, vê classes sociais, vê estilos, ou seja, a rua ainda é democrática, mas a matéria foi higienista e isso é triste.

Eu-não-me-vejo-e-você

Na segunda revista, a dos calçados de plástico, o foco são mulheres jovens, entre adolescentes a moças de uns 25 anos, imagino. E assustadoramente, para essa marca só existem moças dessa faixa etária brancas, magras e de preferência loiras naturais ou tingidas. E isso também é muito triste, pois é um produto popular, todo tipo de mulher dessa idade costuma consumir, e essas meninas, essas moças, não se veem ali, não acham que são bonitas ou dignas de estarem ali representadas. Fico triste de a essa altura de 2015, ainda termos que apontar esse tipo de preconceito na mídia e na publicidade.

Eu-não-me-vejo-e-você

Isso se juntou a algumas outras decepções e me deixou pra baixo, desestimulada de blogar, de passar uma mensagem que aparentemente poucas pessoas querem ouvir. E que algumas das que ouvem, batem palminhas, acham bonitinho a gente falar de inclusão, mas na prática, nas suas vidas, no seu trabalho, nas suas marcas e mídias continuam perpetuando os mesmos padrões, preconceitos e estereótipos.

E esse tipo de coisa me atinge duplamente, pois me exclui como pessoa e mulher, e ainda por cima fecha portas para mim como blogueira e formadora de opinião.

Ah, mas Helena, tem muita marca plus size, tem revista especializada nisso, outro dia a Ju foi capa de revista. Sim gente, é verdade que algumas coisas estão acontecendo, algumas de nós estão sendo ouvidas e nos representando muito bem, mas são casos isolados. Esse tipo de mídia e publicidade que nos exclui é majoritária, e eu ainda vejo essas ações pontuais e isoladas como medida paliativa para manter vendas, não um real compromisso com a inclusão e quebra de padrões.

Muita gente pode vir falar para eu procurar e prestigiar quem nos inclui e deixar para lá quem não quer saber da gente. E sim, eu já prestigio, divulgo e consumo quem faz moda para mim, quem me enxerga como consumidora e como mulher inteligente e com estilo. Mas nem eu nem vocês podemos fechar os olhos para essa maioria esmagadora de falta de representatividade da mulher comum, da mulher gorda, da negra, da mais velha, da deficiente.

Enquanto eu puder eu vou meter o pé nessa porta, não querem nos deixar entrar, não querem nos ver, não querem nos contratar, nem nos ouvir. Mas vão sim ter que engolir, pois eu, nós, vamos descer goela abaixo, vamos pular o muro e vamos entrar. Me recuso a viver apenas no gueto, na zona de conforto que são as revistas, marcas e grupos plus size e feministas, elas são importantes sim, mas nossa voz tem que ir além, tem que chegar na menina que consome o sapato de plástico, na mulher que anda nas ruas.

É… parece que o desânimo passou, tô de volta e tombando tá mores?

via GIPHY
beda

 

Postado por Helena Sá

Veja também

23/03/16
RENNER lança linha PLUS SIZE

renner-lança-coleção-plus-size

Pois é isso mesmo que vocês leram, a Renner lança linha plus size semana que vem no dia 30/03 e pelo que aparece no final do vídeo, vai ter um  e-commerce especial para a linha, mas provavelmente em breve as lojas físicas terão também a linha chamada Ashua Curve Size.

E para divulgar esse lançamento a marca postou esse vídeo que eu achei uma graça tanto nas peças e nas modelos, quanto na mensagem.

As peças tem um estilo mais clean e “adulto”,  pelo menos no que deu pra ver no vídeo. Ainda não tenho informações sobre a grade de tamanhos, mas se é uma linha específica plus size, esperamos que  venha bem ampla, não é mesmo?

renner-lança-coleção-plus-size

renner-lança-coleção-plus-size

Ainda não é o que a gente quer, que é ter uma grade maior em todas as coleções das lojas, com peças do estilo jovem ao mais social em nossos tamanhos. Mas mostra que temos força e o mercado está tendo que se abrir e atender nossas demandas.

Quem quiser conferir as novidades sobre esse lançamento, já tem uma página no Facebook especial para a linha.

O que vocês acharam  desse lançamento? Quero opiniões já!

Postado por Helena Sá

Veja também

15/03/16
A história recente do meu cabelo

A história recente do meu cabelo

A história recente do meu cabelo está pra ser contada há algum tempo, sempre que  mudava o cabelo pedia pro Mateus fazer uma foto, já pensando em quando fosse fazer esse post.

Imaginem que é uma história de 4 anos, pois foi quando comecei a pintar os cabelos com cor fantasia. Sim! Eu tive cabelo careta a maior parte da vida! Se eu soubesse na época que a vida é muito curta para ter um cabelo sem graça… ai ai.

A história recente do meu cabelo

Primeiro eu comecei pelas pontas, com os cabelos ainda compridos eu pintei de rosa, mas era um rosa que tendia para o vermelho, não era ainda o rosa que eu amo, que tem um fundo mais frio. (primeira foto)

Depois já radicalizei mais, cortei os cabelos e fiz mechas em vários tons, mas o tonalizante que usei era fraquinho e desbotou em 2 semanas. Porém foi a cor (cores) que mais amei. (as duas fotos de cabelo curto acima)

A história recente do meu cabelo

Depois disso foi ladeira acima, não sei mais nem dizer qual a ordem cronológica correta dos cabelos acima, só sei que passei por vários tons de rosa, roxo, fúcsia, magenta… Usei tonalizantes de várias marcas e até anilina!

cabelo-colorido

Para não falarem as boas línguas que eu sou a loka do rosa, tive a minha fase granny hair, durou uns 2 meses, mas já vale!

Agora estou com os cabelos em várias mechas de roxo, lilás e rosa, pirei e fiz tudo sozinha em casa, descolori desde a raiz. O resultado tá na última foto da montagem acima, ainda não fiz uma foto legal, mas já dá pra ter uma ideia.

Sobre se é melhor fazer no salão ou em casa, depende muito. Se você tem um cabeleireiro de confiança, um bom profissional, que se importe com a saúde dos cabelos das clientes, vai fundo. Aqui em Juiz de Fora recomendo fortemente o Rapha do Salão Beleza de Minas. Agora, se você já tem habilidade e pesquisou muito como fazer descoloração na internet, vai fundo, muitas vezes a gente sabe cuidar melhor dos nossos cabelos do que cabeleireiros que não estão nem aí para ele. 😉

E essa foi a linda história do meu cabelo rosa, e enquanto eu viver, ela está longe de ter final! (dramática)

Agora eu quero saber a história dos cabelim docês! 😀

Postado por Helena Sá

Veja também

03/03/16
Como sair do básico ao se vestir

não consigo sair do básico pra me vestir

Seu guarda roupas e seus looks são sem graça e você quer mudar isso, mas não consegue? Então fique sabendo que veio ao lugar certo! 😀

Recebo muitas mensagens de meninas contando que não tem coragem de ousar no jeito de vestir, ou que não sabem combinar as peças, e dizem que meus looks ajudam muito a se inspirarem e a criar coragem para se expressar mais através da moda. Isso me deixa muito feliz, pois sei muito bem como é ter receio, complexo ou até medo de usar o que quiser e mostrar a personalidade através do look.

como-sair-do-basico-ao-se-vestir

Superei isso muito através dos looks aqui do blog, a partir do momento que comecei a criar os looks e fotografar, foi um divisor de águas pra mim, meu visual e estilo finalmente condiziam com o meu gosto, personalidade e atitude.

Parece uma questão boba, fútil, tipo, “ai que frescura, quer mudar o visual muda e para de drama!” Mas não é bem assim, muitas questões podem estar por trás desse bloqueio. E afinal, como sair do básico ao se vestir?

A timidez muitas vezes está ligada a isso, sua personalidade é mais introspectiva e vestir algo que chame a atenção pra você, mesmo que seja um visual que você curta, te deixa desconfortável. Nesses casos, é melhor não ir contra a sua natureza, mas também não precisa desistir. É só começar com calma, adicionar uma cor na camiseta, um acessório… daí você vê se sente bem assim, segura o look e vai ser feliz! 😉

Coragem pra ousar nos looks

Muitas vezes a gente se priva de vestir algo que curte pela pressão estética ou pela gordofobia, vejo moças dentro do padrão e que ainda assim deixam de usar uma roupa pois não estão magras o suficiente, e a coisa piora muito para nós gordas, pois aí a treta é mais séria, a gente sofre preconceito ainda hoje. Moças gordas muitas vezes tentam se esconder em roupas largas e sem cor (já fiz muito isso), e muito disso é por vergonha do corpo, por achar que não fica bem em roupas mais ousadas, porque todo mundo diz que não é bonito.

como sair do básico ao se vestir

E é muito difícil se livrar desse estigma e muitas vezes a gente muda nosso corpo e mesmo assim não se sente segura para mostrar atitude. Recebi mensagem de uma leitora que dizia que sempre se vestiu de forma sem graça e pensava que era por ser gorda, daí ela fez cirurgia bariátrica, emagreceu e mesmo assim ainda não se sentia segura para ousar nos looks. E isso só demonstra que tá tudo na nossa cabeça, a gente tem que se aceitar e se amar, fazer as pazes com quem a gente é e tirar daí coragem pra se libertar em tudo, inclusive nos looks.

sair do lugar comum ao se vestir

Essa história do jeito de se vestir é só uma das consequências da pressão que a opinião dos outros faz sobre nós, pois deixamos de fazer muita coisa em nossas vidas por preocupação com a opinião alheia, por isso, acho que uma ótima ideia é começar a chutar o balde pelo jeito de se vestir. Porque daí já de cara com o seu visual, você já demonstra que não dá a mínima pro que os outros pensam e fecha a possibilidade de pitacos e conselhos não solicitados sobre qualquer área da sua vida.

Agora é a parte mais importante, quero saber o que vocês acham de tudo isso e como é pra vocês a hora de se vestir. 😉

Postado por Helena Sá

Veja também

22/02/16
em: Looks, moda
Vestido listrado plus size

Um tipo de estampa que toda gorda ouve que não deve usar, são as listras horizontais. A ideia ultrapassada de que as listras engordam ainda é repetida por aí, mas meu vestido listrado plus size está aqui para provar o contrário.

Mas mesmo que a estampa dê a impressão de ampliar o manequim, e daí? Qual é o problema em parecer maior? O preconceito contra você mesma e outras pessoas gordas acaba quando a gente não fica aterrorizado com a possibilidade de parecer gorda.

vestido-listrado-plus-size

Esse vestido tem uma modelagem linda, com um recorte na cintura que deixa o modelo acinturado, demarcando a cintura de forma bem bonita.

vestido-listrado

Aproveitei o vestido preto e branco para colorir nos acessórios. Os óculos vermelhos de coração e a bolsa turquesa estruturada, junto com as pulseiras combinando, trouxeram cor ao look sem deixar a composição over.

vestido-listrado-plus-size

A camisa cropped floral, que já usei aqui, fez um mix de estampas muito legal com as listras do vestido. Deixou o look tão moderno.

vestido-listrado-plus-size

Depois de 1 semana de dengue, esse look é perfeito para voltar por cima, não é mores?

sandalia-tiras

Essa sandália de tiras com fivela no calcanhar é maravilhosa, sou apaixonada por ela, por ser discreta, mas ao mesmo tempo ter estilo, transmitir atitude. Acho ela bem gótica no verão, amo! ♥

vestido-listrado-plus-size

Eu usei:

  • Vestido listrado, Havan;
  • Camisa cropped, Marisa;
  • Bolsa turquesa, C&A;
  • Sandália tiras, Indaia;
  • Óculos coração, camelô;
  • Pulseiras, Adornare.

Amei esse look, acho ele perfeito para esses dias de calor, é a prova de que dá para ser linda e elegante no verão.

Quero saber o que vocês acharam de tudo e se estavam com saudades depois dessas minhas férias forçadas. Eu com certeza estava! 😉 ♥

Créditos:

Postado por Helena Sá

Veja também

28/01/16
Saia midi plus size: look dos sonhos

Esse é com certeza um dos looks mais desejados e esperados por mim e por quem acompanha o Garotas. Pois eu sempre falo aqui e em todo lugar o quanto queria uma saia midi.

Encontrei a saia midi plus size perfeita na Chica Bolacha, a marca lançou várias estampas e a vontade é ter todas elas, mas escolhi o print de Carrossel, que é maravilhoso!

Mas para tudo ficar ainda mais incrível, o Mateus fez o ensaio mais incrível e encantador da vida! E Barbrinha e eu montamos esse look LACRANTE, olha só:

saia-midi-plus-size

A camisa amarela é de um tecido super leve, fluído e macio. Não pesa no verão e a cor combinada com a saia e os acessórios ficou demais!

saia-midi-plus-size2

Esse look, o cenário e o clima das fotos, me faz querer viver nesse mundo aí, que nem parece o mesmo que a gente vive.

Nessa foto com cat eyes to me achando muito estrela de cinema dos anos 50.

saia-midi-plus-size-carrosselsaia-midi-plus-size-chica-bolacha

Essa foto, as cores, esse céu! Tô apenas apaixonada, transportada para um filme antigo. Tá tão vintage! ♥

look-com-saia-midi-plus-size

Essa saia já está na minha listinha do amor, das peças que usarei muito, essa combinação de hoje ficou mais diva, mas dá pra montar looks dos mais despojados aos mais elegantes com ela.

look-saia-midi-plus-size

Acho que os acessórios que escolhemos não podiam combinar mais! ^^

saia-midi-chica-bolacha

A moça do desenho e eu fazendo mesma pose! 😀

saia-midi-plus-size-chica-bolacha-look saia-midi-plus-size-look

Não tem muito como escolher, mas acho que essa foto dos patinhos é a minha preferida!

Eu usei:

  • Saia midi carrossel, Chica Bolacha;
  • Camisa amarela, C&A;
  • Sandália rosa, Petite Jolie;
  • Óculos cat eyes, By Candy;
  • Bolsa tachas, C&A;
  • Chaveiro cupcake, feito pela Bárbara (ela faz por encomenda);
  • Anel de gelatina e colar, antigos.

saia-midi-plus-size-rodada

Não tenho mais o que falar desse editorial, estou muito feliz com a realização desse trabalho dos looks da nossa equipe, a cada dia tenho mais orgulho do nosso trabalho aqui, não só pela beleza e capricho, mas pela força que damos as moças normais e gordas como eu. A gente prova aqui a cada look que todas nós somos fabulosas!

Espero que essa mensagem chegue a todas vocês e quero saber o que vocês acharam! 😉

Créditos:

*Agradecimento especial ao Park Super Star, que nos autorizou a fazer fotos lá.

Postado por Helena Sá

Veja também

19/01/16
Vestido preto plus size

Finalmenteeee, aos 19 dias do ano de 2016 eu resolvo iniciar o ano do Garotas! Era pra ser on, avisei no ig e fb, mas tivemos um problema de hospedagem e né, então tá, o ano do bloguinho começa hoje!

E a gente já começa com look, e com um vestido preto plus size maravilhoso que eu desejava há tempos. Ele tem tudo que eu amo em modelagem de vestidos, acinturado, com a saia rodada e justo na parte de cima.

vestido preto plus size

Esse vestido tem um estilo mais chique, comprei exatamente para ir a um casamento. Mas não tem roupa clássica que eu não consiga tumultuar com acessórios e sobreposição! 😀

profissão perigo

Me sentindo o MacGyver com esses óculos estilo aviador espelhados. Totalmente profissão perigo!

Notaram que os acessórios, o batom e a sandália, tá tudo azul? Pois é, um pouquinho de cor nesses dias chuvosos e frios maravilhosos que estamos passando nesse verão atípico.

look camisa cropped plus size

Essa camisa cropped me conquistou, amei o modelo a tampa floral e principalmente, achar um cropped que serve em gorda na sessão regular da loja!

look vestido preto plus size

Adoro esse tipo de sandália que já usamos muito nos anos 90, com salto grosso e esse estilo melissa.

*Não curto a falta de diversidade e a não inclusão negra e plus size da Petite Jolie, tenho 2 sandálias da marca e não vou jogá-las fora, mas não é uma empresa que eu apoie.

look com vestido social plus size

Eu usei:

  • Vestido preto, Quintess;
  • Camisa cropped, Marisa;
  • Óculos aviador, Closet Dona Onça;
  • Sandália, Petite Jolie;
  • Pulseiras, Adornare;
  • Anel, Forever 21.

pontos de cor no look

Adorei essa combinação da camisa como vestido, ele não tem mangas então fica legal acompanhar uma camisa leve no verão. Fora que é um jeito de ma peça mais social como esse vestido e poder usá-lo em diferentes ocasiões. 😉

macgyver

E aí, curtiram meu visual? Tenho certeza que o MacGyver aprovou! 😀

Créditos:

Postado por Helena Sá

Veja também