Livros


20/11/13
Um ‘high five’ e minha leitura atual.

Blogueiros com escritórios super sofisticados! hahaha A iluminação fraca é por conta das luzinhas que substituem a luz aqui no quarto, a noite elas deixam a leitura muito mais confortável, vale a pena tentar

Oi leitoras e leitores do GRC, meu nome é João (já fui apresentado pela Helena no post anterior) e a partir de hoje assinarei semanalmente a coluna literária daqui.

Primeiramente vou me apresentar, falar um pouquinho de mim e do meu blog, e depois vou fazer uma introdução (sem muitos spoilers) da minha leitura atual, que combina demais com o tema do blog.

Fui convidado pela Helena depois que o Nicholas decidiu se retirar do blog por motivos maiores, ele anda bem ocupado ultimamente. Inicialmente achei que o próprio Nicholas tinha me indicado, mas descobri que foi realmente a Helena que entrou no meu blog e me escolheu, fiquei bem feliz com a proposta dela e bem… Cá estou.

O meu blog cultura/literário é o Jonny’s Box (jonnybox.com) e ele foi criado no começo do ano, com uma pausa por conta da faculdade e mudança de cidade, e hoje é atualizado semanalmente – para não dizer diariamente -. Decidi criar o blog porque meus amigos não aguentavam mais escutar histórias longas e cheias de descrições que não faziam sentido para eles, pois não tinham lido o livro. Sempre gostei de escrever, nunca tive coragem de expor, mas quem sabe um dia?

O Jonny’s Box não é unicamente sobre livros, eu assisto cerca de 40 séries (??) e também comento muito sobre isso (Eu gostaria muito que vocês comentassem aqui quais séries assistem, se assistem. Além disso, qual seu gênero literário preferido… Precisamos nos conhecer melhor para que eu possa fazer bons posts. Ok?).

Então, vamos ao que interessa… Se a coluna é literária, nada mais justo que eu indicar um livro a vocês.

DECIDI QUE: Não vou fazer uma resenha, até porque não terminei de ler ainda. Como disse, quero conhecer vocês primeiro, não sei se todo mundo aqui curte spoiler… Eu não gosto de resenhas descritivas que acabam tirando a emoção da história, então hoje eu vou fazer uma introdução sobre A Vingança Veste Prada – Lauren Weisberger.

Lembra da Miranda Priestly? Aquela monstra autoritária da obra ‘O Diabo Veste Prada‘? Acredito que muita gente por aqui deve ter lido, ou visto o filme e idolatrado o poder da mandachuva da revista Runway, e admirado a audácia da ‘An-dre-a‘ que no final da história se demitiu e jogou o celular longe, e melhor, em Paris.

O que aconteceu depois disso? Lauren decidiu escrever a continuação e não decepcionou nem um pouco.

A narração acontece 10 anos depois da garota, agora mulher, ter se demitido da tão famosa revista de moda. Agora ela e a outra secretária de Miranda, Emilly, são amigas (por incrível que pareça) e, juntas, fundaram uma revista de noivas, The Plunge.

A revista pode não ser uma Runway, mas ninguém pode negar que tem bom gosto e que está indo muito bem nas vendas. O grande ápice da revista está por vir, e quem estampará a capa do mês é a própria Andrea, e não é só porque ela é cofundadora e editora chefe, o verdadeiro motivo é seu noivo, então marido, Max.

A vida dela poderia ser perfeira, exceto por duas coisas, a sogra e Miranda, que ainda a assombra.

“Como aquela mulher ainda conseguia assombrá-la? Fazia quase 10 anos desde que ela voltara correndo de Paris, fugida de seu período destruidor de almas como assistente de Miranda na Runway. Ela crescera muito desde aquele ano pavoroso, não crescera? Tudo havia mudado, e para melhor: os primeiros anos pós-Runway fazendo trabalhos como freelancer , que ela orgulhosamente transformara em uma atividade estável escrevendo como colaborado para um blog sobre casamentos, Feliz Para Sempre. Alguns anos e dezenos de milhares de palavras depois, ela conseguiu lançar a própria revista, The Plunge, uma linda publicação de em papel cuchê acetinado de alta qualidade que já tinha 3 anos de vida e que, apesar de todas as previsões em contrário, até dava lucro. ” Página 13.

Como o marido, e agora ela, fazem parte da alta sociedade novaiorquina, eventos beneficentes são indispensáveis. Andrea sabe que seu pesadelo se tornará realidade a qualquer momento, mas não esperava que fosse tão cedo… Miranda aparece, de braços dados com o lendário Valentino e com a expressão de desdém de sempre. A ex assistente passa mal na presença de Miranda, com todas as lembranças que ainda são responsáveis por pesadelos contínuos. Mas ela sabe que, mais cedo ou mais tarde, terá que superar tudo isso, afinal de contas, elas fazem parte do mesmo círculo social, encontrá-la virá a ser um problema constante. Mas afinal, qual será a reação de Miranda ao ver a assistente gordinha? Será que ela sabe sobre a The Plunge?

E essa capa?

"Com uma chefe como a Miranda você nunca dorme tranquilo", ainda vem com uma 'Sleep Mask' de brinde!

“Com uma chefe como a Miranda você nunca dorme tranquilo”, ainda vem com uma ‘Sleep Mask’ de brinde!

Minha opinião sobre a obra até então: assim como o primeiro livro, não me parece uma obra restrita ao mundo adolescente, diria que qualquer um pode gostar do drama que a história trás. É fácil se identificar com Andrea, apesar da grande carreira que está construindo, ela ainda se sente intimidade pela ex chefe, continua ignorando seus conhecimentos simplórios por moda e usando seus casacos largos feios.

Não hesito ao dizer que o livro é tão bom quanto o primeiro – até então -. Recomendo esse livro para quem sempre gostou do clima novaiorquino e adora se aventurar pelo mundo da moda (essa leitura me tirou de uma grande ressaca literária, eu vinha lendo apenas livros de fantasia e ficção há um bom tempo).

Então é isso, até semana que vem. Espero que tenham gostado do post, se vocês quiserem eu volto outro dia para fazer uma resenha completa, cheia de spoiler (hahaha!). Comentem o que acharam de mim (don’t be mean :( !) aqui embaixo. Até mais.

Qualquer dúvida ou comentário, vocês sabem onde me encontrar! 

Postado por Carina Silva

Veja também

27/10/14
Resenha: Ele está de volta

ele-está-de-volta

Um livro que me fez rir sem me dar conta de que estava lendo um livro que não pensava que seria considerado de comédia, até mesmo porque o personagem principal é ele: Hitler. E sim, aqui, “Ele está de volta”, e o mais interessante: nos dias atuais.

No livro escrito por Timur Vermes, o Füher acorda em um terreno na Alemanha completamente desentendido e ainda usando seus trajes formais. Quando levanta tentando entender como havia parado ali, percebe que há algo errado. Ele está no futuro. Muito mais no futuro.

Perdido e desorientado, tenta pedir informações para quem está passeando pela rua e fica furioso ao perceber como as pessoas ousam não respeitá-lo, e o pior, os que fazem a saudação alemã, insistem em fazê-la de maneira errada. Depois de perder alguns minutos tentando entender como havia parado ali, Adolf começa a passar mal e um bondoso dono de banca de jornais o ajuda.

ele-esta-de-volta

Por estar caracterizado e começar a soltar seus discursos (muito) bem feitos, o dono da banca logo percebe que além de se tratar de um sócia parecidíssimo, o senhor ali era um excelente ator. Então promete chamar alguns produtores que o ajudarão a ficar famoso. Em uma inocência cômica, Hitler gosta da ideia de ser apresentado aos tais “produtores” e começa a bolar novos planos, sem saber que, na verdade, estava sendo escalado para um programa de comédia.

É muito claro que para escrever “Ele está de volta”, o autor pesquisou muito sobre Hitler. Seus “novos” discursos, narrados na história, super poderiam ter sido feitos pelo próprio. E o mais assustador (que aconteceu comigo, pelo menos) foi o poder de persuasão que aquelas palavras possuem.

É claro que não se trata só do nazismo e do Hitler em si. O que eu gostei muito no livro, foram as observações do personagem sobre o mundo de hoje. Sobre como o conteúdo que consumimos é terrível, e como a nossa sociedade atual está sendo governada por um mídia que pode até ser considerada livre, mas que não exerce essa liberdade da melhor maneira, e ao invés de informar e expandir os horizontes, acaba criando cidadãos que não pensam e passam a dar importância ao que, na verdade, deveria menos importar.

Ao longo do livro, o que eu já havia comentado ali em cima começa a tomar tendências mais assustadoras. Começo a concordar com coisas que Hitler diz. E então, com um peso na consciência, começo a entrar em conflito com meus valores. O que é ótimo, eu acho, afinal livros que te fazem questionar sobre qualquer coisa são válidos. Questionar-se é válido e importante.

“Ele está de volta” é um livro narrado em primeira pessoa que ridiculariza Hitler, sua postura e suas idéias absurdas na medida certa e o mais importante: ridiculariza nós mesmos, que conseguimos engolir tudo o que nos é dito e posto em frente a uma tela de computador.

Claro que o livro tem seus defeitos, muitas vezes caí no tédio ao longo da leitura e viajei durante os discursos. Mas como não lembrava do que se tratava quando comecei a ler, não criei expectativas. No geral, é bom. Fazer o leitor desdobrar questões e rir ao mesmo tempo, foram duas junções geniais.

Postado por Carina Silva

Veja também

24/07/14
[Resenha] Tempos Extremos

resenha-tempos-extremos

Larissa é uma mulher adulta que abandonou sua profissão de jornalista, para estudar História, sua verdadeira paixão. Com a chegada do aniversário de sua avó Maria José, para comemorar, ela e toda sua família vão para uma fazenda em Minas Gerais, um grande casarão antigo cheio de história e lembranças. Uma dessas histórias é que lá habitam espíritos e justamente Larissa, a única total descrente nessas lendas, começa a ver pessoas que morreram há muitos anos atrás.

Tempos Extremos é o mais novo lançamento da escritora e jornalista Míriam Leitão e é um livro que mixa fantasia à realidade, mistérios, personagens interessantes e ainda de quebra contém a história do Brasil como pano de “fundo”. No começo da história é notável como a família da protagonista é carregada de discordância.

A começar pelos irmãos Alice, mãe de Larissa, e Hélio, seu tio. Ela lutou contra a Ditadura Militar, foi presa e torturada e ele escolheu o caminho totalmente oposto permanecendo do lado dos Militares. Com a prisão de Alice e o desaparecimento do pai de Larissa nos tempos da opressão, Hélio virou inimigo número um de Alice. Já o outro irmão caçula, Marcos, que não teve sucesso profissional, balança entre as desavenças dos irmãos e procura esquecer dos problemas e brigas familiares executando um velho hábito de juventude: fumar um baseado.

Com a falta de assunto com seus primos,  acusações constantes da mãe sobre sua indecisão, o abandono repentino da profissão e o fato de sempre viver no passado, e o distanciamento do marido Antônio, ainda jornalista, Larissa começa a receber visitas de espíritos de escravos que habitaram a fazenda. O velho escravo Constantino pede uma ajuda a ele referente a seus dois filhos Bento e Paulina.

crítica-tempos-extremos

Ao longo da história segredos surpreendentes da família são revelados sempre fundindo passado com presente de uma maneira instigante. Temas densos e importantíssimos da história do nosso país são retratados de forma leve em uma narração deliciosa que prende sua atenção não apenas pela descrição, mas pela curiosidade que desperta.

Os personagens divergentes carregam um pouquinho da história do Brasil e em meio a conflitos, perdas, desavenças e paixão conseguem retratar o que foi viver em tempos tão extremos. Talvez, para quem não está acostumado, possa parecer um livro sério e cansativo, mas não é.

Tempos Extremos é uma aulinha de história divertida, misteriosa e instigante que vai passar em um piscar de olhos e deixar gostinho de quero mais. Recomendado!

Postado por Carina Silva

Veja também

07/07/14
[Resenha] Claros Sinais de Loucura

claros-sinais-de-loucura

Ainda não sei se Claros Sinais de Loucura é um livro sobre uma menina de doze anos ou para uma menina de doze anos. Só sei que se você tem essa faixa etária vai se identificar muito e se já for mais velhinho vai sentir uma nostalgia deliciosa ao lembrar de como é ser um(a) pré-adolescente.

Estranho pensar como um livro com um título e uma premissa tão séria e profunda pode ser  tão leve. A protagonista da história é Sarah, uma garota que acaba de completar doze anos, vivendo suas férias de verão.  Ela e seus pensamentos são tão comuns que fica difícil imaginar o grande segredo que ela esconde: Sua mãe tentou assassinar ela e seu irmão gêmeo quando eram apenas bebês. A tentativa foi bem sucedida quanto à seu irmão Simon, e depois do julgamento de seu pai, acusado de negligência, sua mãe foi internada em um hospício.

É por isso que Sarah colocou na cabeça que o gene da loucura também está nela e que algumas atitudes suas são sinais super claros de que, no fim, vai acabar como sua mãe. Um  exemplo é conversar com uma planta chamada Planta.  Mas afinal, que garota de doze anos não conversa com sua planta, seu peixe, seu ursinho de pelúcia? Esse fato particular faz Sarah ter levado uma vida atípica, na qual teve que se mudar diversas vezes por causa de repórteres enxeridos e colegas de escola caçoando dela e da sua mãe louca. Por isso ela virou uma garota introspectiva e insegura que não pode confiar em ninguém e – talvez como conseqüência – tenha se apaixonado pela leitura. O que é legal pois vemos constantes citações de livros clássicos como O Sol Nasce para Todos (entrou na minha lista para ler) e também de palavras novas que ela vai aprendendo.

Sarah só tem uma melhor amiga e apostou com ela quem daria o primeiro beijo de língua nesse verão. Além disso, essa não é a única preocupação da garota. No próximo ano um dos trabalhos da escola será fazer uma árvore genealógica. Como vai conseguir esconder seu segredo? Para completar seu pai é um alcoólatra e ela se apaixona por um garoto muito mais velho do que ela.

Durante a leitura de  Claros Sinais de Loucura notei como é estranho como a gente acaba esquecendo como é  ser jovem. Tanto a narração de Sarah, a raiva que ela sente pelos pais e o anseio pelo primeiro amor aquecem nosso coração com lembranças gostosas de nós mesmos.  As transformações e reflexões que a protagonista passa são reais e interessantes e se tem uma mensagem muito clara no livro é que muitas vezes somos mais especiais do que achamos.

Para as pessoas mais velhas Claros Sinais de Loucura é um livro que talvez não vá acrescentar lá muita coisa. A escrita é super simples e os personagens que tinham tudo para serem profundos são um pouco rasos. Por isso, talvez, seja uma ótima opção para aquela pré-adolescente por ser uma escrita leve, fácil e divertida.

“Como sempre, tenho que descobrir as coisas por conta própria e responder às perguntas que o meu cérebro inventa. Se você quer saber, estou à procura de qualquer sinal de estar enlouquecendo. Quanto mais informação eu tiver, melhor poderei me defender do mundo, do cérebro dentro de mim que pode ou não ser igual ao dela.”

Postado por Carina Silva

Veja também

01/07/14
Wishlist de aniversário

A gente faz wishlist de aniversário, mas os parentes e amigos não vem ver, poderiam poupar grana, facilitar a vida, mas não, lá vem a tia-avó com um bibelô estranho que eu vou esconder no fundo do armário. ahahah

Pois é, meu aniversário está chegando, é dia 14 de julho. Não vai ter festa, deve ter bolo que minha madrinha sempre me dá, mas eu e meu pai comemos todo sozinho. hoho

Fiz essa listinha singela com os itens super de boas que eu amaria ganhar de presente. <3

wishlist-aniversário

Minha listinha de desejos:

  • Todos os meus amigos amando Eleanor & Park, também quero ler;
  • Amo tênis nesse estilo, aceito com print liberty, dots, ou liso de uma cor bem massa;
  • Chegou na minha cidade essa coleção das Havaianas do Charlie Brown, por favor alguém me dá?
  • Kitkat eu quero sempre, no Natal, Páscoa, Aniversário, Carnaval… se alguém pergunta: Helena, o que você quer da vida? A resposta é kitkat e depois ser ryca;
  • Óculos de sol cateyes, pois eu ficaria uma gata com eles;
  • Prateleiras para o meu quarto, necessito;
  • Incensos de baunilha e mel, meus favoritos;
  • Papel contact, pois quero dar um up na decoração do meu quarto, junto com as prateleiras.

Tão vendo como eu sou uma menina simples e fácil de agradar? Quem passar no camelô e me trouxer incenso já me faz feliz! <3

Agora quero saber o que vocês acharam dos meus pedidos! 😀

Postado por Helena Sá

Veja também

09/06/14
[PROMOÇÃO] Orange is the new black

orange-is-the-new-black-sorteio

Galera, passando aqui só para avisar que tem promoção lá na página do Garotas no facebook. Quem aí quer ganhar o livro e uma camiseta de Orange is the new black?

Para participar é só seguir as regras!

1. Curta as páginas do Garotas Rosa Choque e Editora Intrínseca

2. Compartilhe a imagem em modo PÚBLICO usando a hashtag #OITNB LINK PARA A IMAGEM (http://ow.ly/xNWfa);

3. Clique em QUERO PARTICIPAR, neste link: https://www.sorteiefb.com.br/tab/promocao/353745

4. Todos os prêmios serão enviados para o vencedor pela Editora Intrínseca.

5. A equipe do GAROTAS ROSA CHOQUE não concorrerá aos prêmios.

Resultado em 22/06/2014

Saiba mais sobre a série: http://garotasrosachoque.com.br/2014/06/livro-e-serie-orange-new-black.html

BOA SORTE pra todo mundo! \o/

Postado por Helena Sá

Veja também

06/06/14
[Livro e Série] Orange is The New Black #OITNB

 

orange-is-the-new-black

A segunda temporada de Orange is The New Black está chegando e eu não poderia estar mais animada para essa estréia. O seriado foi considerado a melhor série de dramédia de 2013 e não foi para menos. Além de esse ser meu gênero favorito de séries e filmes, Orange is The New Black é original e muito interessante.

Para quem ainda não sabe sobre o que se trata, a série conta a história de Piper Chapman, uma mulher de classe média alta, bonita e estudada que levava uma vida pacata e comum com o seu noivo e que, por um deslize do passado, acaba sendo presa.

orange-is-the-new-black

É na prisão federal que Piper acaba reencontrando a pessoa que foi o motivo por sua prisão e é lá que também terá que enfrentar diversos outros problemas. Dentre eles a Crazy Eyes, uma mulher que se apaixona por Piper  e a pega para cristo insistindo em fazer dela a sua esposa. 

O mais interessante da estória é que é baseada em fatos verídicos e a Piper Chapman (Piper Kerman na vida real) contou tudo em um livro.  Ela apresenta todos os casos curiosos, perturbadores, emocionantes e engraçados da rotina no presídio federal e percebe que lá, apesar de estar cercada de criminosas, todas aquelas presidiárias são muito mais complexas do que ela imaginava.

Enquanto Chapman narra a luta que é aprender a conviver com essas mulheres e todas as regras da prisão, também é discorrido sobre a crueldade do sistema carcerário.

É por isso que apesar de emocionante e engraçado, a estória de Piper tem grande importância social. Depois de cumprir sua pena, a autora se envolveu com o movimento de reforma prisional nos Estados Unidos e até hoje participa do conselho da Associação de Mulheres na Prisão.

Para quem ainda não viu, a série está disponível no Netflix e o livro foi lançado esse ano pela editora Intrínseca. A segunda temporada estréia hoje, então fiquemos ligados !

orange-is-the-new-black

Postado por Carina Silva

Veja também