filmes


29/11/14
[Filmes] Boyhood – Da Infância à Juventude

Não sei se Boyhood é um filme ótimo ou só okay. Mas, sem dúvida, é um filme que toda pessoa que tem um olhar mais sensível sobre a vida deve ver.

O filme dirigido por Richard Linklater, mesmo diretor dos clássicos Antes do Amanhecer, Antes do Pôr-do-sol e Antes da Meia Noite, nos toca não por ser uma grande produção (em termos de efeitos) mas sim pela simplicidade e principalmente por falar de algo que comove: a passagem do tempo e a vida. Sim, só a vida.

Talvez Linklater tenha um fetiche por falar da passagem do tempo, afinal, a sua trilogia mais famosa conta a história de mesmos personagens ao longo de 30 anos e o melhor: com os mesmos atores.  E é isso que é mágico em Boyhood, o uso do mesmo elenco ao longo de 12 anos. O diretor passou 12 anos rodando o filme em segredo com os mesmos atores.

boyhoodO roteiro não tem nada demais (espero que não me batam por dizer isso). Conta a história de Mason, um garoto criado por uma mãe solteira e sua vida da infância à juventude. Fim. Mas se é só isso, por que é tão interessante? Porque retrata a passagem do tempo verdadeira. Cada mudança na vida dos personagens fica mais e mais real enquanto as mudanças físicas e verdadeiras dos atores ajudam a tornar isso mais concreto.

O interessante é que o protagonista Mason não tem nada demais. Apesar de infância difícil, com um pai ausente e um padrasto alcoólatra, o garoto permanece passivo, com poucas falas e traços de personalidade até a metade do filme. Somente quando ele vai tomando corpo é que sua personalidade começa a aflorar, para nosso alívio.

Boyhood

Mesmo tendo o tempo como protagonista principal, Boyhood não é apelativo e saudoso, daqueles tipos de filme que usam a nostalgia como truque. O filme só faz chorar mesmo (se fizer chorar) nos últimos segundos. A “mensagem” não é a saudade, o olhar para trás, mas sim o agora. Os momentos da vida que passam e que, sem perceber, já estão no passado.

Poderia ter vinte minutos a menos? Poderia. Mas não deixa de ser uma experiência adorável.

Postado por Carina Silva

Veja também

07/08/15
Séries dos anos 90 lado B

Existem duas séries dos anos 90 que todo mundo precisa conhecer, e, como são um pouco lado B e foram canceladas muito cedo, muita gente não conhece. O que é um pecado! Por isso, resolvi falar das minhas 2 preferidas – e quem sabe, mais para frente, falo das outras.

Freaks and Geeks:

freaks-and-geeks

Exibida no finalzinho de 1999, a série se passava nos anos 80 (ponto!) e tinha como trama a vida dos nerds e esquisitos de uma escola do ensino médio. No elenco dos freaks temos atores bem conhecidos no auge da juventude e início de carreira: James Franco (que está a cara do Jeff Buckley <3), Jason Jordan (Marshall do How I Met Your Mother), Linda Cardellini (E.R e Scooby Doo), Seth Rogers (todos os filmes de comédia do mundo) e Busy Philipps (As Branquelas e Cougar Town).

mar
A história começa quando a avó de Lisa morre e ela passa a mudar os antigos hábitos. A certinha e “normal” descobre o grupo dos esquisitos e resolve andar com eles, porque afinal, era muito mais divertido ouvir rock n’ roll e fumar maconha. Lisa passa a ver as coisas com um olhar um pouco mais pessimista e abandona de vez sua vida de “nerd”.

giphy
Já o núcleo dos geeks tem como protagonista o irmão mais novo de Lisa e seus dois amigos também “perdedores”. O trio que está no primeiro ano do colegial tenta desesperadamente se adaptar, conhecer garotas e fugir dos bullies. Claro que Lisa também sofre para se adaptar ao grupo dos malvadinhos, afinal, ela não tem malícia.

giphy (1)
Por que é legal?
Além da trilha sonora ser demais, ver como Lisa passa da garotinha feliz para uma típica adolescente (revoltada, rebelde e melancólica) é bem legal. E, para equilibrar, os nerds fazem a gente dar boas risadas. A série, infelizmente, não vingou nos EUA. E, por isso, só tem 1 temporada de 18 episódios. Mas vale super a pena!

My so Called Life

MY-SO-CALLED-LIFE
Triste saber que uma série foi cancelada por ser “profunda” demais. Mas é o caso de My so Called Life, série total grunge, de 1995 estrelada por Claire Danes (Angela) e Jared Leto (Jordan Catalano). Difícil fazer a série parecer tão boa como ela é só falando, mas posso dizer que retrata muito bem a adolescência sem ser de uma maneira idiota. Enquanto muitos seriados faziam adolescentes parecerem bobões melosos, a série conseguiu resgatar o “drama” que pensávamos nos nossos próprios anos dourados de uma maneira poética e, vez ou outra, triste.

tumblr_lv4orszP051qae0aco1_500
A história começa quando a protagonista Angela também resolve deixar de andar com sua amiga certinha, pinta o cabelo de vermelho e faz amizade com uma garota doidinha e o mais um garoto divertido, vide único gay da escola. Angela é inteligente e sempre desdobra situações que resultam em pensamentos sagazes.
Claro que nenhuma protagonista adolescente dramática seria uma protagonista adolescente dramática sem um amor não correspondido, é aí que entra o lindo  do Jared Leto.

tumblr_msqv8nOihK1qcxmn4o1_250
Ao contrário de Freaks and Geeks, essa série não tem muito humor. Alguns episódios são meio densos, então não assista quando estiver tendenciosa à lágrimas ou sentir uma saudade enorme da adolescência.

E como tudo o que é bom dura pouco, a série só tem 19 episódios. Snif…

beda

Postado por Carina Silva

Veja também

20/02/15
[Filme] Grandes Olhos

Grandes-olhos

O mais novo filme do queridíssimo Tim Burton vai lá para os anos 50 contar a história real da pintora Margaret Keane (Amy Adams). Uma jovem artista mãe solteira que sonha em ganhar a vida vendendo sua arte: quadros  de crianças com olhos grandes e expressivos.

Mesmo sendo fonte de um grande talento, Margaret é tímida, sem o mínimo jeito para vender o seu trabalho e tem medo de não aceitarem o fato de ser uma mulher artista. É então que ela se  casa com o pintor Walter Keane (Christoph Waltz) e ele, desenvolto, carismático e excelente vendedor, começa a ficar famoso pelos quadros da sua esposa.

O sucesso das imagens de crianças de olhos grandes começa a ser tanto, que a arte de Walter Keane (na verdade da Margaret), passa a ser uma espécie de Romero Britto da época (só que melhor, claro). Tendo seus quadros estampados em posters e em uma diversidade de produtos, Margaret começa a se incomodar com o sucesso do seu marido em nome do trabalho dela. Enquanto fica trancada em um quartinho pintando quadro após quadro para preencher a demanda, ela começa a procurar sua própria identidade e decide mudar seu estilo para poder, enfim, assinar sua própria arte.

by

Mesmo os quadros sendo a cara de personagens do Tim Burton (teria sido esse o motivo que ele resolveu fazer o filme?), o filme colorido e fofo não tem muito daquele tom sombrio que a gente está acostumado a ver. É só pela fotografia caricata e um pouco exagerada  que a dá para encontrar o dedo do Tim ali. O que é bom. Mostra que o diretor sabe produzir coisas diferentes.

Com um enredo bem leve de início, a história começa a ficar pesada quando Margaret se torna escrava do seu marido e, sufocada pelo segredo, decide falar para o mundo: Walter nunca pintou nenhum daqueles quadros.

Amy Adams faz de Margaret uma pessoa frágil e carismática enquanto Christoph Waltz, deixa Walter um daqueles vilões impossíveis de odiar. Filme gostosinho!

Postado por Carina Silva

Veja também

27/01/15
Brinquedos fofos de Páscoa

ovos-pascoa-2015

A Páscoa 2015 vai ser uma morte horrível para a vida financeira de quem adora colecionáveis de quadrinhos, cartoons, filmes e similares. Nerds, preparem os bolsos, pois as marcas de chocolate apelaram para conquistar os adultos que adoram esse tipo de produto.

Para começar a Lacta vem com os personagens principais do desenho nada infantil A Hora da Aventura. Ainda não sei se serão só o Finn e o Jake, ou se outros personagens como Marceline e a Princesa Caroço vão aparecer também. <3

Mais Brinquedos fofos de Páscoa, ops, quer dizer, colecionáveis! 😀

ovos-pascoa-2015

E a Nestlè apelou e vai trazer canecas temáticas de Star Wars com, Stormtrooper e Darth Vader que já estão à venda a partir de 18 de fevereiro.

brinquedos-pascoa-2015

A Cacau Show também investiu nos gadgets e vem com headphones da Liga da Justiça. Alguém me dá o da Mulher Maravilha pfvr? 😛

ovos-pascoa-2015

Copinhos fofos da franquia Vingadores que são da Garoto, CADÊ O LOKI? <3

ovos-pascoa-2015

Canecas Angry Birds vem nos ovos da Lacta, coisa mais linda gente!

brinquedos-ovos-pascoa-2015

Quero ter merenda pra levar nessa lancheira da Hello Kitty também da Lacta.

ovos-pascoa-2015

E também tem lancheira Monster High.

ovos-pascoa-2015-disney

Caixinha de som tão linda do Mickey nos ovos da Nestlè. <3

ovos-pascoa-2015

E pro Homem Aranha não reclamar que é sempre deixado de lado, que é o mais pobrinho, a Lacta vai ter copo fofo dele também! \o/

Ainda não foram divulgados preços e data de lançamento de todos, então quem babou nos brinquedinhos, fica esperto para não perder!

Eu quero pelo menos a caneca do Darth, meu camarada, e os bonequinhos de Adventure Time.

Quais conquistaram os coraçõezinhos de vocês?

 

Postado por Helena Sá

Veja também

15/12/14
em: Looks, moda
Polka Dots Dress

polka-dots-dress

Um vestido de bolinhas preto e branco, um sonho antigo realizado esse ano, outro era o casaco de paetês, também realizado em 2014. E os dois juntos em look = PERFEIÇÃO! <3

Meu Polka Dots Dress ou vestido de poá, é lindo, é acinturado, meu amor eterno a ele!

polka-dots-dress

Me senti tão girlie, tão anos 50, com essa locação ainda, me transportei para Grease – Nos tempos da Brilhantina! 😀

Esse look parece um pouco datado ou até mesmo fantasia, isso para alguém normal, eu uso fácil pra sair! Já comentei que desconfio de gente normal?!

Mas para quem quer amenizar o estilo, é só trocar o casaco de paetês por uma jaqueta jeans, a sapatilha por tênis… pra mim tá ótimo assim!

vestido-de-poá

Mas os anos 80 ainda são paixão, não sou a maior fã de Jon Bon Jovi, mas né, esse topete… quem nunca?

vestido-de-poá

Meu nome é Gal Helena!

Coloquei uns toques de vermelho nos acessórios, pois o look estava todo preto e branco, então os óculos, anel e brincos deram esse pequeno toque vermelho.

polka-dots-dress

Adorei essa foto, é tipo foto de stalker, de longe. Mas esse creepy foi descoberto!

vestido-de-poá

Chamo o síndico? Tomo um guaraná ou suco de caju? Acho que vale tudo, vale o que vier! 😀

vestido-de-poá

Estou usando:

  • Vestido de Poá, Quintess comprado na Posthaus;
  • Casaco Bomber, Marisa;
  • Sapatilha de spikes, Melissa;
  • Óculos camelô;
  • Anel de laço, Ebay.

polka-dots-dress

Qual som vocês querem que eu coloque na vitrola?

Créditos:

A grande desvantagem desse vestido (sim, tem uma), é que ele é muito marcante e eu quero usar todos os dias! Daqui uns dias já vão me conhecer na cidade por conta dele! Mas foi a melhor compra que fiz esse ano! <3

Acho que a cada look vou me soltando um pouquinho mais e curtindo ainda mais pensar nos looks, produzir com a Bárbara e fazer essas fotos lindas com o Mateus. Espero que vocês estejam curtindo nem que seja 10% do que eu estou, porque já é demais!

Postado por Helena Sá

Veja também

29/11/14
[Filmes] Boyhood – Da Infância à Juventude

Não sei se Boyhood é um filme ótimo ou só okay. Mas, sem dúvida, é um filme que toda pessoa que tem um olhar mais sensível sobre a vida deve ver.

O filme dirigido por Richard Linklater, mesmo diretor dos clássicos Antes do Amanhecer, Antes do Pôr-do-sol e Antes da Meia Noite, nos toca não por ser uma grande produção (em termos de efeitos) mas sim pela simplicidade e principalmente por falar de algo que comove: a passagem do tempo e a vida. Sim, só a vida.

Talvez Linklater tenha um fetiche por falar da passagem do tempo, afinal, a sua trilogia mais famosa conta a história de mesmos personagens ao longo de 30 anos e o melhor: com os mesmos atores.  E é isso que é mágico em Boyhood, o uso do mesmo elenco ao longo de 12 anos. O diretor passou 12 anos rodando o filme em segredo com os mesmos atores.

boyhoodO roteiro não tem nada demais (espero que não me batam por dizer isso). Conta a história de Mason, um garoto criado por uma mãe solteira e sua vida da infância à juventude. Fim. Mas se é só isso, por que é tão interessante? Porque retrata a passagem do tempo verdadeira. Cada mudança na vida dos personagens fica mais e mais real enquanto as mudanças físicas e verdadeiras dos atores ajudam a tornar isso mais concreto.

O interessante é que o protagonista Mason não tem nada demais. Apesar de infância difícil, com um pai ausente e um padrasto alcoólatra, o garoto permanece passivo, com poucas falas e traços de personalidade até a metade do filme. Somente quando ele vai tomando corpo é que sua personalidade começa a aflorar, para nosso alívio.

Boyhood

Mesmo tendo o tempo como protagonista principal, Boyhood não é apelativo e saudoso, daqueles tipos de filme que usam a nostalgia como truque. O filme só faz chorar mesmo (se fizer chorar) nos últimos segundos. A “mensagem” não é a saudade, o olhar para trás, mas sim o agora. Os momentos da vida que passam e que, sem perceber, já estão no passado.

Poderia ter vinte minutos a menos? Poderia. Mas não deixa de ser uma experiência adorável.

Postado por Carina Silva

Veja também

18/10/14
em: textos
Coisas aleatórias numa manhã de sábado

coisas aleatórias numa manhã de sábado

Há algumas semanas vi no Uma cadeira, por favor! a Carol contando da semana dela num post totalmente leve, descompromissado, gostoso de ler. E ela deu esse título aí que estou dando a este post aqui também. Quando li o dela, comentei que adorei e que deveria ser um tipo de tag, pois eu fiquei com vontade de fazer também.

Mas ela com uma lucidez incrível disse que não é bem uma tag, e é verdade, pois a ideia é sempre que possível, contar coisas soltas do nosso cotidiano, que na correria a gente nem para pra se dar conta, e que mostram um pouco de nós aos leitores.

Adoro esse tipo de interação, pois ao mesmo tempo que estou dividindo pequenas doses da minha vida com vocês, não estou me expondo ou expondo a minha vida da forma que já tem sido tão comum nessa era das redes sociais. Essa forma que a Carol encontrou de doar um pouquinho dela nos faz imaginar as situações, pois ela fala por alto, o resto tem mesmo que ficar com a nossa criatividade.

Então deixo vocês com alguns drops da minha pacata vida no interior de Minas. 🙂

  1. Incrível como os cachorros captam o nosso humor, nossos medos e até nossos preconceitos. Estou passeando com um cachorro aqui de casa que tinha fama de latir para bicicletas, pessoas de boné, mendigos… pois desde que comecei a passear com o Dexter (sim, eu dei esse nome), ele não late pra ninguém na rua. Me senti bem com isso, me senti leve por não transmitir negatividade para um animal tão dócil (apesar do nome).
  2. Minha semana foi só sobre cachorros, esses lindos que fazem da minha vida um lugar colorido. Tirei fotos com o Jimmy, que é meu dog mesmo, apesar de amar todos aqui da casa, são 7 ao todo (insano), o Jimmy é o meu amor, é especial. E essa semana eu ele fizemos fotos lindas, para um look aqui do blog. Sim, agora o Jimmy também faz look do dia! E olha, super expressivo e fotogênico. <3
  3. Sonhando com um filé de frango empanado, que é minha forma preferida de comer frango, mas chego no restaurante para almoçar e a desilusão bate, só tem filé grelhado. Por mais filé empanado e purê de batata baroa, por menos filé grelhado e sem graça! Essa é a minha bandeira! ahaah
  4. O ventilador, esse lindo, o meu melhor amigo essa semana, obrigada por existir.
  5. Assisti Miss Violence, filme que também foi a Carol que indicou lá no blog dela. Pesado, indigesto, denso e necessário. Indico que assistam também. Tem pra baixar aqui.

Acho que só trapaceei em colocar uma foto, mas vai ser o meu toque especial na ideia linda da Carol.

O que acharam desse tipo de post? Quero opiniões! 😀

Postado por Helena Sá

Veja também