cabelos


19/01/16
Vestido preto plus size

Finalmenteeee, aos 19 dias do ano de 2016 eu resolvo iniciar o ano do Garotas! Era pra ser on, avisei no ig e fb, mas tivemos um problema de hospedagem e né, então tá, o ano do bloguinho começa hoje!

E a gente já começa com look, e com um vestido preto plus size maravilhoso que eu desejava há tempos. Ele tem tudo que eu amo em modelagem de vestidos, acinturado, com a saia rodada e justo na parte de cima.

vestido preto plus size

Esse vestido tem um estilo mais chique, comprei exatamente para ir a um casamento. Mas não tem roupa clássica que eu não consiga tumultuar com acessórios e sobreposição! 😀

profissão perigo

Me sentindo o MacGyver com esses óculos estilo aviador espelhados. Totalmente profissão perigo!

Notaram que os acessórios, o batom e a sandália, tá tudo azul? Pois é, um pouquinho de cor nesses dias chuvosos e frios maravilhosos que estamos passando nesse verão atípico.

look camisa cropped plus size

Essa camisa cropped me conquistou, amei o modelo a tampa floral e principalmente, achar um cropped que serve em gorda na sessão regular da loja!

look vestido preto plus size

Adoro esse tipo de sandália que já usamos muito nos anos 90, com salto grosso e esse estilo melissa.

*Não curto a falta de diversidade e a não inclusão negra e plus size da Petite Jolie, tenho 2 sandálias da marca e não vou jogá-las fora, mas não é uma empresa que eu apoie.

look com vestido social plus size

Eu usei:

  • Vestido preto, Quintess;
  • Camisa cropped, Marisa;
  • Óculos aviador, Closet Dona Onça;
  • Sandália, Petite Jolie;
  • Pulseiras, Adornare;
  • Anel, Forever 21.

pontos de cor no look

Adorei essa combinação da camisa como vestido, ele não tem mangas então fica legal acompanhar uma camisa leve no verão. Fora que é um jeito de ma peça mais social como esse vestido e poder usá-lo em diferentes ocasiões. 😉

macgyver

E aí, curtiram meu visual? Tenho certeza que o MacGyver aprovou! 😀

Créditos:

Postado por Ana Paula Nunes

Veja também

25/04/16
O Manual da Garota Cacheada

O Método Curly GirlNo fim do ano passado eu resolvi me dar de presente o livro “O manual da garota cacheada – O Método Curly Girl”. Logo que fiz meu corte na Clínica de Cachos, onde usam o método Deva Cut, eu me interessei mais pelo tema e assim que achei o livro em português e por um preço bacana, não pensei duas vezes.

O livro foi escrito pela Lorraine Massey, proprietária da marca DevaCurl e quem desenvolveu a técnica Low-Poo e No-Poo. Falei tanto da marca quanto da técnica quando contei do meu corte aqui. Em resumo, a técnica é uma forma de usar menos química e também agredir menos os cabelos cacheados que tendem a ser mais frágeis e ressecados.

Demorei a começar a ler e confesso que estava receosa, achando que o livro seria apenas um amontoado de dicas e propaganda sobre os produtos da marca. Mas, ainda bem que quebrei a cara. O livro é didático e leve, no comecinho a Lorraine conta sobre a sua história e as dificuldades de ser a única cacheada numa família de pessoas lisas, e também de como isso foi definidor para que ela seguisse carreira como cabeleireira.

Além de dicas e receitas, são apresentadas, ao longo do livro, diversas histórias de mulheres cacheadas e suas relações com os cabelos. Sempre deixando que a aceitação é extremamente importante para ter cabelos naturais saudáveis e bonitos.

Ainda pretendo falar mais sobre o livro, principalmente conforme eu for testando as dicas e receitas. Mas, já queria dizer que a Lorraine traz uma classificação super legal dos tipos de cachos. É diferente do que vemos pela internet. Para as meninas que querem identificar qual é o seu tipo de cachos, acompanhem aí.

Ela considera que existem seis tipos de cachos e classifica através do fator encolhimento, ou seja, “a diferença entre o comprimento de um cacho em seu caimento natural e quando é completamente esticado”. E para saber isso basta pegar uma régua e medir uma mecha do seu cabelo seco natural e a mesma mecha de cabelo totalmente esticada. A diferença que der é o seu fator encolhimento.

– 23 a 20 centímetros: fractal ou zigzag

– 23 a 30 centímetros: corscrew (saca-rolhas)

– 15 a 25 centímetros: corkicelli e cherub (querubim)

– 13 a 20 centímetros: botticelli

– 5 a 10 centímetros: ondulado

– 2,5 a 5 centímetros: ondulado em S

O manual da garota cacheada

O fator encolhimento do meu cabelo, por exemplo, deu 15 centímetros. Então, tenho cachos querubim.  Padrões variados de cachos ao longo do cabelo. Ela descreve esse tipo de cacho como sendo mais seco e com alto fator de frizz (sad but true). É um cabelo que se mantém cacheado em todas as estações e que também pode parecer mais curto ou mais comprido de acordo com o clima e a umidade.

E você? Qual é seu tipo de cacho? Conta pra mim!

 

Postado por Ana Paula Nunes

Veja também

14/04/16
Reconstrução KERATIN SYSTEM e Escovaria Dona Linda

dona linda escovaria

Já contei e mostrei no snapchat (pinkshockgirl) como meu cabelo estava danificado, principalmente nas pontas, por conta de diversas descolorações feitas uma em cima da outra nos fios.

Nunca façam descoloração em cima de fios já descoloridos, no meu caso foi uma junção de irresponsabilidade da profissional que cuidava dos meus cabelos e falta de atenção minha. Sempre colori os cabelos em casa sem maiores problemas, descolorir agride, mas nunca meu cabelo tinha ficado elástico e tão quebrado, o dano estava muito crítico.

Eu já tinha apelado para todos os tratamentos caseiros possíveis, e só amenizavam no dia. Foi aí que conheci a Camila proprietária e profissional responsável pela Escovaria Dona Linda, um salão que acabou de abrir e tem uma proposta diferente de cuidados com os cabelos. Ainda vou falar muito sobre a Escovaria aqui no blog, porque tem muita coisa legal para mostrar. 😉

Conversei com a Camila sobre o estado das pontas do meu cabelo e ela me propôs fazer lá na Escovaria um cronograma de recuperação dos fios, e eu topei na hora claro, SOS!

Ela começou pela reconstrução e a escolhida para a situação dos meus cabelos foi a Reconstrução KERATIN SYSTEM da marca Natylla, que é uma reconstrução da fibra capilar baseada na reposição dos nutrientes perdidos com as descolorações. Ela promete hidratação, nutrição, força e restauração dos cabelos.

E agora eu tenho o prazer de mostrar para vocês que ela cumpriu o prometido.

reconstrução-keratin-natylla

Esse é o antes e depois do estado dos fios na hora que cheguei ao salão, e depois que saí de lá. Dá para perceber uma melhora considerável na estrutura dos meus fios. E o tratamento ainda está só começando, Heim!

reconstrução-keratin-natylla

Agora sintam o antes e depois do cabelo todo! 😮

Eu fiz no salão o tratamento completo da linha KERATIN SYSTEM, que começa com o shampoo especial restaurador, depois um banho de queratina líquida, em seguida a máscara de tratamento, enxágue e depois o gel protetor. Não sei se falei a ordem certa, mas sei que a diferença já era gritante antes mesmo de secar os cabelos e selar com a chapinha.

Reconstrução KERATIN SYSTEM

Para fazer a manutenção dos cabelos, a Natylla mandou para mim através da Escovaria Dona Linda um kit de cuidados para eu fazer em casa, da linha home care de queratina e cistina. Nesse primeiro mês usarei toda semana, depois do cabelo já restaurado, começo a usar apenas uma vez no mês, para não sobrecarregar os cabelos com a queratina. 😉

Reconstrução KERATIN SYSTEM

Acho que depois disso tudo nem precisava dizer que mais do que aprovei o tratamento e principalmente o atendimento e o cuidado que recebi na Escovaria Dona Linda. Mas vou ressaltar que amei tudo, o ambiente aconchegante, o profissionalismo, a equipe do salão… E como eu disse lá em cima, vocês vão amar também, porque eu ainda não contei nem o começo sobre o Dona Linda. <3

Para quem como eu está precisando de atenção e cuidados com os cabelos, a Dona Linda Escovaria fica na Rua Porto das Flores 208/201, em Santa Luzia aqui em Juiz de Fora, curtam a página no facebook. Aos poucos vou contando os outros serviços especiais do salão por aqui. E lá também vende o kit home care que eu estou começando a testar aqui em casa. <3

Postado por Helena Sá

Veja também

15/03/16
A história recente do meu cabelo

A história recente do meu cabelo

A história recente do meu cabelo está pra ser contada há algum tempo, sempre que  mudava o cabelo pedia pro Mateus fazer uma foto, já pensando em quando fosse fazer esse post.

Imaginem que é uma história de 4 anos, pois foi quando comecei a pintar os cabelos com cor fantasia. Sim! Eu tive cabelo careta a maior parte da vida! Se eu soubesse na época que a vida é muito curta para ter um cabelo sem graça… ai ai.

A história recente do meu cabelo

Primeiro eu comecei pelas pontas, com os cabelos ainda compridos eu pintei de rosa, mas era um rosa que tendia para o vermelho, não era ainda o rosa que eu amo, que tem um fundo mais frio. (primeira foto)

Depois já radicalizei mais, cortei os cabelos e fiz mechas em vários tons, mas o tonalizante que usei era fraquinho e desbotou em 2 semanas. Porém foi a cor (cores) que mais amei. (as duas fotos de cabelo curto acima)

A história recente do meu cabelo

Depois disso foi ladeira acima, não sei mais nem dizer qual a ordem cronológica correta dos cabelos acima, só sei que passei por vários tons de rosa, roxo, fúcsia, magenta… Usei tonalizantes de várias marcas e até anilina!

cabelo-colorido

Para não falarem as boas línguas que eu sou a loka do rosa, tive a minha fase granny hair, durou uns 2 meses, mas já vale!

Agora estou com os cabelos em várias mechas de roxo, lilás e rosa, pirei e fiz tudo sozinha em casa, descolori desde a raiz. O resultado tá na última foto da montagem acima, ainda não fiz uma foto legal, mas já dá pra ter uma ideia.

Sobre se é melhor fazer no salão ou em casa, depende muito. Se você tem um cabeleireiro de confiança, um bom profissional, que se importe com a saúde dos cabelos das clientes, vai fundo. Aqui em Juiz de Fora recomendo fortemente o Rapha do Salão Beleza de Minas. Agora, se você já tem habilidade e pesquisou muito como fazer descoloração na internet, vai fundo, muitas vezes a gente sabe cuidar melhor dos nossos cabelos do que cabeleireiros que não estão nem aí para ele. 😉

E essa foi a linda história do meu cabelo rosa, e enquanto eu viver, ela está longe de ter final! (dramática)

Agora eu quero saber a história dos cabelim docês! 😀

Postado por Helena Sá

Veja também

25/01/16
Minha rotina de cuidados com o cabelo curto cacheado

Depois de quase dois meses que cortei o cabelo. (Contei todo o processo e sobre a técnica Deva Cut que foi usada, nesse post aqui.) Resolvi falar como está sendo a rotina de cuidados com o cabelo curto cacheado.

Eu continuo lavando meus cabelos em torno de duas vezes por semana e tenho usado o shampoo da nova linha da Yamá, o Yamasterol Less Poo. Ele é ótimo para quem é adepta do low poo, não agride, não resseca e higieniza os cachos.

Para condicionar eu alterno entre o da linha Natura Sou, para cabelos ressecados, que é leve. Não sinto uma hidratação potente com ele, mas como tenho usado o shampoo que já não agride muitos os fios, não percebo necessidade de usar um condicionar muito potente toda vez que lavo. E uso também o Aussie Moist, que já acho mais forte (praticamente uma máscara) apenas uma vez na semana.

É o terceiro pote de Aussie que uso, adoro, se deu super bem com meu cabelo. E sempre usei dessa forma, intercalando com outros condicionadores e usando como uma máscara de hidratação rápida. Antes do Moist, eu cheguei a usar o Strong, mas tiveram praticamente o mesmo efeito pra mim: cabelos super hidratados, maleáveis e que parece que derretem na sua mão quando você enxagua.

Para finalizar, tenho alternado bastante, gosto de testar produtos novos e também depende muito do que quero para o meu cabelo no dia. Enfim, no geral, tenho alternado entre dois leave in: Cachos dos sonhos, da Salon Line e o Casulão (não julguem pelo nome, o produto e baratinho, mas ótimo, apesar de ter uma identidade visual péssima).

Os dois funcionam de formas diferentes no meu cabelo, o da Salon Line me deixa com os cachos mais definidos. Por outro lado, uso o Casulão quando quero ficar com mais volume, principalmente no day after. Falando em day after, essa era uma das preocupações logo que cortei o cabelo, porque antes conseguia não amassar os cachos prendendo eles num rabo abacaxi (prendendo ele bem lá no alto), mas agora já não tenho como fazer isso. Por isso,  tenho usado dois produtos diferentes para revitalizar os cachos.

Uso a Mousse + Volume da Eico Cosmetic, que ajuda a dar volume e corpo para os fios. Diferente de outros mousses que já testei, esse tem uma textura mais leve e achei a aplicação mais fácil. Gosto de usar quando quero apenas revitalizar alguns fios e aumentar o volume sem me importar com frizz. E tem também a outra novidade da Salon Line, o Gel Day After Como se fosse a primeira vez. Ele redefine bem os cachos, seca rápido e diminui o frizz, ótima forma de arrumar os fios de manhã sem precisa molhar o cabelo, sabe?!

rotina de cuidados com o cabelo curto cacheado

Do shampoo ao day after: todos produtos que tenho usado

Bom, é isso! Essa é a forma como estou mantendo o corte novo, em outro momento comento sobre as máscaras e tratamentos. Se tiver mudanças ou descobrir novos produtinhos, aviso por aqui.

E se vocês já usarem algum desses produtos que falei, comentem o que acharam e se deu certo com vocês.

Postado por Ana Paula Nunes

Veja também

19/01/16
Vestido preto plus size

Finalmenteeee, aos 19 dias do ano de 2016 eu resolvo iniciar o ano do Garotas! Era pra ser on, avisei no ig e fb, mas tivemos um problema de hospedagem e né, então tá, o ano do bloguinho começa hoje!

E a gente já começa com look, e com um vestido preto plus size maravilhoso que eu desejava há tempos. Ele tem tudo que eu amo em modelagem de vestidos, acinturado, com a saia rodada e justo na parte de cima.

vestido preto plus size

Esse vestido tem um estilo mais chique, comprei exatamente para ir a um casamento. Mas não tem roupa clássica que eu não consiga tumultuar com acessórios e sobreposição! 😀

profissão perigo

Me sentindo o MacGyver com esses óculos estilo aviador espelhados. Totalmente profissão perigo!

Notaram que os acessórios, o batom e a sandália, tá tudo azul? Pois é, um pouquinho de cor nesses dias chuvosos e frios maravilhosos que estamos passando nesse verão atípico.

look camisa cropped plus size

Essa camisa cropped me conquistou, amei o modelo a tampa floral e principalmente, achar um cropped que serve em gorda na sessão regular da loja!

look vestido preto plus size

Adoro esse tipo de sandália que já usamos muito nos anos 90, com salto grosso e esse estilo melissa.

*Não curto a falta de diversidade e a não inclusão negra e plus size da Petite Jolie, tenho 2 sandálias da marca e não vou jogá-las fora, mas não é uma empresa que eu apoie.

look com vestido social plus size

Eu usei:

  • Vestido preto, Quintess;
  • Camisa cropped, Marisa;
  • Óculos aviador, Closet Dona Onça;
  • Sandália, Petite Jolie;
  • Pulseiras, Adornare;
  • Anel, Forever 21.

pontos de cor no look

Adorei essa combinação da camisa como vestido, ele não tem mangas então fica legal acompanhar uma camisa leve no verão. Fora que é um jeito de ma peça mais social como esse vestido e poder usá-lo em diferentes ocasiões. 😉

macgyver

E aí, curtiram meu visual? Tenho certeza que o MacGyver aprovou! 😀

Créditos:

Postado por Helena Sá

Veja também

05/01/16
Qual é o pente que te penteia e meta para 2016

Semana passada eu, finalmente, visitei uma exposição super bacana que está acontecendo aqui em Juiz de Fora. Queria ir já há algumas semanas, mas misturou fim de férias e fim de ano e as semanas começaram a ficar bem mais corridas e acabava adiando.

A exposição de fotos chama “Qual é o pente que te penteia” e fica disponível no Espaço Cultural Correios (em Juiz de Fora) até dia de 16 de janeiro. Então, ainda dá tempo de você também conhecer! Corre!

Pelo nome e pela arte de divulgação (que está lindona) eu fiquei mega ansiosa pra visitar logo. Sim, o nome é o título de uma música antiga que você com certeza já cantarolou por aí, mas me diga, você já parou pra pensar o quão preconceituosa essa música é?

“Nega de cabelo duro,
qual é o pente que te penteia?”

qual-é-o-pente-que-te-penteia

Pois é, tem tanta coisa que a gente reproduz e nem se dá ao trabalho de pensar sobre, não é? É aí que mora o perigo, bem aí que mora o preconceito também! Em uma aula sobre Ideologia, meu professor da Pós-Graduação em Mídia, Informação e Cultura da USP (um dos professores mais sensacionais que já pude ter) explicava que o grande lance da ideologia é isso, fazer com que reproduzamos discursos preconceituosos, machistas, homofóbicos sem questionar, ou sem ao menos hesitar.

No entanto, quando nos damos conta da existência disso, dessa consciência social que impregna a gente, por mais que um pensamento preconceituoso ou machista percorra nossa cabeça, a gente começa questionar. E desde então, eu me questiono sobre músicas, filmes, livros e ditados populares (esses são terríveis).

exposição
Certo, mas pra quê tudo isso? Bom, porque a exposição está linda. Todas 38 fotos de mulheres negras com seus cabelos crespos, com dreads, tranças, turbantes ou mesmo com black power são maravilhosas.

E enquanto eu admirava cada foto eu só conseguia pensar no quanto o padrão de beleza é excludente e sem maior sentido. Quem disse que a mulher negra não é linda? Que disse que ter tranças e dreads não pode ser maravilhoso?

Exposição2
Tem todo um contexto histórico e social nessa luta, mas vale lembrar a gente a aprende. A gente pode mudar discursos, podemos parar de reproduzir falas que colaboram com tudo isso.

Então, para 2016 ficam aí duas metas: visitar essa exposição maravilhosa e se questionar mais sobre todas essas falas prontas que temos em nossa cabeça, ok?

Postado por Ana Paula Nunes

Veja também