Cabelos


23/04/14
Meu cabelo com tonalizante C. Kamura

pink-hair

Mais um capítulo da saga, Meu Cabelo! 😀

Quem acompanha a história, sabe que eu tenho colorido meus cabelos com cor fantasia desde o ano passado. Quem quiser saber tudo que eu já fiz, é só ir nos links abaixo e acompanhar tudo.

Dessa vez aconteceu uma super coincidência, ou não! Em poucas semanas após fazer a descoloração e aplicação de tonalizante da Tec Italy no salão, com o Rapha, a cor desbotou quase que completamente. Eu estava com as mechas loiras quase palha! Já estava desesperada para pintar, quando chegaram as 3 cores do Tonalizante C. Kamura abaixo:

tonalizante-c-kamura

Foi minha salvação, chegou na sexta-feira e no fim de semana eu já estava aplicando!

Segui as instruções de fazer uma pré aplicação rápida e em seguida lavar e reaplicar, dessa vez deixando 30 minutos.

tonalizante-c-kamura

Eu misturei uma quantidade grande do Star Pink, com um pouco do Sweet Grape e uma gotinha do Cobalt Blue na pré pigmentação. Mas aí achei que ficou aquele magenta que tem fundo avermelhado, e eu queria um fuschia, ou seja, queria um pink com fundo azul, quase roxo! Daí na segunda aplicação eu misturei uma boa quantidade do Sweet Grape e pouco do Star Pink e a gotinha do Cobalt Blue.

cabelo-roxo-rosa

O resultado foi esse aí do mural. Mas em cada foto e em cada luz a cor parece diferente, muito difícil de captar.

Acima vocês podem ver a transição, primeiro como meu cabelo ficou depois da aplicação no salão, na segunda foto ele já todo desbotado, com as mechas quase palha. E o resultado atual com os tonalizantes C. Kamura.

resultado-cabelo-rosa

Estou adorando o resultado, já tem 3 semanas que apliquei os tonalizantes e a cor desbotou muito pouco. Nos primeiros dias costuma sair água rosa das lavagens do cabelo, mas agora não acontece mais.

Os tonalizantes custam R$25 a caixinha, eu apliquei a mistura e sobrou bastante de cada cor. Isso pois eu tenho pouco cabelo, fino e curto nos ombros. Acho que ainda dá pra reaplicar umas 2 vezes mais. Para saber mais sobre o tonalizante, aqui o site da marca.

Gostaram do resultado? 

Postado por Helena Sá

Veja também

15/03/16
A história recente do meu cabelo

A história recente do meu cabelo

A história recente do meu cabelo está pra ser contada há algum tempo, sempre que  mudava o cabelo pedia pro Mateus fazer uma foto, já pensando em quando fosse fazer esse post.

Imaginem que é uma história de 4 anos, pois foi quando comecei a pintar os cabelos com cor fantasia. Sim! Eu tive cabelo careta a maior parte da vida! Se eu soubesse na época que a vida é muito curta para ter um cabelo sem graça… ai ai.

A história recente do meu cabelo

Primeiro eu comecei pelas pontas, com os cabelos ainda compridos eu pintei de rosa, mas era um rosa que tendia para o vermelho, não era ainda o rosa que eu amo, que tem um fundo mais frio. (primeira foto)

Depois já radicalizei mais, cortei os cabelos e fiz mechas em vários tons, mas o tonalizante que usei era fraquinho e desbotou em 2 semanas. Porém foi a cor (cores) que mais amei. (as duas fotos de cabelo curto acima)

A história recente do meu cabelo

Depois disso foi ladeira acima, não sei mais nem dizer qual a ordem cronológica correta dos cabelos acima, só sei que passei por vários tons de rosa, roxo, fúcsia, magenta… Usei tonalizantes de várias marcas e até anilina!

cabelo-colorido

Para não falarem as boas línguas que eu sou a loka do rosa, tive a minha fase granny hair, durou uns 2 meses, mas já vale!

Agora estou com os cabelos em várias mechas de roxo, lilás e rosa, pirei e fiz tudo sozinha em casa, descolori desde a raiz. O resultado tá na última foto da montagem acima, ainda não fiz uma foto legal, mas já dá pra ter uma ideia.

Sobre se é melhor fazer no salão ou em casa, depende muito. Se você tem um cabeleireiro de confiança, um bom profissional, que se importe com a saúde dos cabelos das clientes, vai fundo. Aqui em Juiz de Fora recomendo fortemente o Rapha do Salão Beleza de Minas. Agora, se você já tem habilidade e pesquisou muito como fazer descoloração na internet, vai fundo, muitas vezes a gente sabe cuidar melhor dos nossos cabelos do que cabeleireiros que não estão nem aí para ele. 😉

E essa foi a linda história do meu cabelo rosa, e enquanto eu viver, ela está longe de ter final! (dramática)

Agora eu quero saber a história dos cabelim docês! 😀

Postado por Helena Sá

Veja também

25/01/16
Minha rotina de cuidados com o cabelo curto cacheado

Depois de quase dois meses que cortei o cabelo. (Contei todo o processo e sobre a técnica Deva Cut que foi usada, nesse post aqui.) Resolvi falar como está sendo a rotina de cuidados com o cabelo curto cacheado.

Eu continuo lavando meus cabelos em torno de duas vezes por semana e tenho usado o shampoo da nova linha da Yamá, o Yamasterol Less Poo. Ele é ótimo para quem é adepta do low poo, não agride, não resseca e higieniza os cachos.

Para condicionar eu alterno entre o da linha Natura Sou, para cabelos ressecados, que é leve. Não sinto uma hidratação potente com ele, mas como tenho usado o shampoo que já não agride muitos os fios, não percebo necessidade de usar um condicionar muito potente toda vez que lavo. E uso também o Aussie Moist, que já acho mais forte (praticamente uma máscara) apenas uma vez na semana.

É o terceiro pote de Aussie que uso, adoro, se deu super bem com meu cabelo. E sempre usei dessa forma, intercalando com outros condicionadores e usando como uma máscara de hidratação rápida. Antes do Moist, eu cheguei a usar o Strong, mas tiveram praticamente o mesmo efeito pra mim: cabelos super hidratados, maleáveis e que parece que derretem na sua mão quando você enxagua.

Para finalizar, tenho alternado bastante, gosto de testar produtos novos e também depende muito do que quero para o meu cabelo no dia. Enfim, no geral, tenho alternado entre dois leave in: Cachos dos sonhos, da Salon Line e o Casulão (não julguem pelo nome, o produto e baratinho, mas ótimo, apesar de ter uma identidade visual péssima).

Os dois funcionam de formas diferentes no meu cabelo, o da Salon Line me deixa com os cachos mais definidos. Por outro lado, uso o Casulão quando quero ficar com mais volume, principalmente no day after. Falando em day after, essa era uma das preocupações logo que cortei o cabelo, porque antes conseguia não amassar os cachos prendendo eles num rabo abacaxi (prendendo ele bem lá no alto), mas agora já não tenho como fazer isso. Por isso,  tenho usado dois produtos diferentes para revitalizar os cachos.

Uso a Mousse + Volume da Eico Cosmetic, que ajuda a dar volume e corpo para os fios. Diferente de outros mousses que já testei, esse tem uma textura mais leve e achei a aplicação mais fácil. Gosto de usar quando quero apenas revitalizar alguns fios e aumentar o volume sem me importar com frizz. E tem também a outra novidade da Salon Line, o Gel Day After Como se fosse a primeira vez. Ele redefine bem os cachos, seca rápido e diminui o frizz, ótima forma de arrumar os fios de manhã sem precisa molhar o cabelo, sabe?!

rotina de cuidados com o cabelo curto cacheado

Do shampoo ao day after: todos produtos que tenho usado

Bom, é isso! Essa é a forma como estou mantendo o corte novo, em outro momento comento sobre as máscaras e tratamentos. Se tiver mudanças ou descobrir novos produtinhos, aviso por aqui.

E se vocês já usarem algum desses produtos que falei, comentem o que acharam e se deu certo com vocês.

Postado por Ana Paula Nunes

Veja também

15/12/15
Você não precisa estar escovada para se sentir elegante

penteados

Para vocês se inspirarem e arrasarem no fim do ano, fiz uma seleção com alguns penteados lindos.

O fim do ano está aí, repleto de presentes e claro, festas, confraternizações e reuniões em família. É aquela época em que todo mundo quer estrear uma roupa nova, uma maquiagem trabalhada e também um penteado bacana. E se você é cacheada, eu aposto que chegou a pensar, em determinada fase da sua vida, que esse era o momento para fazer uma escova, não é mesmo?

Infelizmente, existe um fenômeno social que nos faz acreditar que cabelo crespo ou cacheado não é sinônimo de elegância e que não é aceito em eventos mais formais. Sempre que pensava em ir para formaturas ou mesmo casamentos eu me sentia na obrigação de fazer uma escova e alisar meu cabelo para ficar com uma cara de “arrumada”, sabe?! Caso eu não fizesse (muitas vezes eu não fiz) eu achava que não estava à altura de tantos penteados alisados e cheios de laquê. Aquela ideia de que  você precisa estar muito bem escovada para se sentir elegante.

Enfim, a sociedade cria padrões para serem seguidos e todo mundo está cansado de saber isso, não é? Mas, nossa, é muito mais difícil se desvencilhar das vozes que insistem em martelar em nossas cabeças depois de anos acreditando que os padrões impostos e expostos eram o ideal. É um exercício diário, sim! E abrange inúmeros aspectos de nossas vidas.

E estou aqui hoje para dizer: o seu penteado não precisa e não vai ser igual ao de garotas lisas! E nem por isso vai ser menos legal ou menos elegante. Vai ter frizz? Vai ter frizz! Vai ter ondas? Vai ter ondas! E você vai estar linda? Sim!
Eu sempre fui louca com trança, sempre achei muito bonito, mas meu cabelo sempre foi super cacheado, a trança não ficava igual ao dos cabelos longos das minhas amigas lisas. Assim como meu rabo de cavalo também não fica. Nunca ficou! Nunca vai ficar! Preciso sofrer com isso? Não, não preciso. Tem uma porção de penteados que ficam lindos em crespas e cacheadas. Eu, por exemplo, escolhi casar com o meu cabelo cacheado e nem por isso me senti menos “noiva”.

O grande lance dessa história toda é você se aceitar e se sentir bem com você mesma. Tentar vencer todos os dias os preconceitos enraizados em nossa mente e ser capaz de ser você mesma em qualquer dia, inclusive nas comemorações, festas e os grandes eventos que aparecerem. Afinal, por que teria que ser diferente, não é mesmo?

Postado por Ana Paula Nunes

Veja também

01/12/15
Meu Deva Cut na Clínica dos Cachos

 

Desde minha transição, eu cortei meu cabelo curto algumas vezes, mas, nos últimos anos eu vinha mantendo os fios mais longos. Ano passado, eu tive algumas crises e quis cortar, porém, como era o ano do casamento, preferi manter o comprimento para fazer o penteado preso que eu tinha em mente.

Bom, o casamento passou e eu acabei desencanando de cortar, porém, nos últimos meses eu vinha percebendo que por mais que mudasse a finalização ou trocasse de creme para pentear, por exemplo, os cachos estavam com pouco volume e sem muita definição. E apesar de não ter percebido queda ou algo assim, a sensação é que meu cabelo tinha afinado. Então, decidi que era uma boa hora para fazer um corte e mudar o comprimento.

deva-cut-antes

Meu cabelo antes

Aí, começou a saga de procurar algum salão ou profissional especializado em cachos, afinal eu não queria cortar apenas por cortar, tinha algumas considerações para fazer ao profissional. Pesquisei e cheguei até a Clínica dos Cachos. Um dos poucos lugares que usam a técnica Deva Cut e todos os produtos da linha Deva Curl (desenvolvidos especialmente para cachos e 100% livre de sulfato, silicone e parabenos)  na hora de higienizar o cabelo. Antes de ir, eu pesquisei o que era o tal Deva Cut e descobri que é uma maneira de cortar os cachos e que utiliza as madeixas secas para eliminar os pontos certos, cacho a cacho, e assim definir o formato do cabelo e aumentar a definição.

Vi alguns vídeos e depoimentos de quem já tinha ido ao estúdio e resolvi aproveitar minhas férias e marquei para a semana que estaria em São Paulo visitando meus pais, a Clínica fica na zona sul, próxima à estação Santa Cruz do metrô.

Cheguei no salão, que só tem pessoas cacheadas e crespas trabalhando, coisa linda de ver tantos formatos, texturas e lindos cortes assim na sua frente. Bom, a Daniela que me atendeu, conversei com ela e expliquei que queria um pouco mais de volume, que poderia tirar comprimento e também queria mais suavidade para o meu rosto. Ela perguntou se poderia deixar o corte redondo, mas com bico, mais assimétrico, eu disse que achava que sim. Ela então disse que cortaria assim e se no final eu preferisse tirar o bico, ela faria.

Assim, ela começou a cortar o meu cabelo seco, sem pentear ou escová-lo. Ela pegava cacho a cacho e cortava determinadas partes. Depois disso higienizaram meu cabelo com o No poo da Deva (porque minha raiz não é oleosa, se fosse, seria usado o Low poo), em seguida o One Condition foi aplicado. Como eu disse que queria o meu cabelo com mais volume, eles não aplicaram o Angel que é um dos finalizadores mais conhecidos da marca, usaram o Mousse Volumizing Foam no cabelo ainda bem molhado, apenas com o excesso de água retirado com as próprias mãos.

Deva Air 360Depois disso eu fiquei sentadinha esperando meus cachos secarem no Deva Air 360 (quero um desse em casa, gente). Que é um secador de torre da marca, onde você encaixa no topo o secador comum e ele vai distribuir por igual o calor e sem criar vento ou atrito com os cachos.

Com o cabelo todo seco a Dani amassou para tirar o aspecto de durinho que o mousse deixa e finalizou o corte. Tirou qualquer ponta que poderia ter ficado e como eu curti muito o assimétrico, nós mantivemos o corte com bico.

Eu adorei a experiência, curti muito a mudança e o resultado. O meu Deva Cut na Clínica dos Cachos super definiu os cachinhos. Achei ótimo conhecer a linha Deva Curl que eu já tinha lido muito sobre, mas ainda não tinha tido oportunidade para usar.

deva-cut-depois

Resultado do meu Deva Cut

Vou fazer outro post sobre como está sendo a rotina de cuidados agora com os fios mais curtos e quais produtos estou usando para finalizar, já que não tive coragem para dar os quase R$ 80 reais no mousse da Deva.

Postado por Ana Paula Nunes

Veja também

18/11/15
Passei boa parte da vida tentando mudar meu cabelo

Eu tenho 27 anos. Passei boa parte da vida tentando mudar meu cabelo, não aceitando o meu cabelo. Tentando transformá-lo, aos poucos, naquilo que eu achava que era mais bonito. Naquilo que a sociedade me mostrava que era mais bonito, através de novelas e revistas.

Fiz amaciamentos, relaxamentos e progressivas. Comecei aos 14 anos de idade, querendo aquilo que era o meu sonho na época, um cabelo liso e com as pontas levemente cacheadas. Não preciso dizer que não funcionava, né? O cabelo crescia e dois dedos de raiz cacheada eram suficientes para acabar com o sonho mês a mês.

Aos 17 anos, com o cabelo já bastante fragilizado, resolvi alisar de vez. Achei que a nova vida de estudante de jornalismo pedia um cabelo liso, mais próximo dos padrões televisivos. E por isso, resolvi fazer uma progressiva e um relaxamento juntos. O cabelo não ficou liso, ficou esticado, ressecado, e eu ainda precisava fazer escovas para ele ficar modelado.

cabelo com progressiva

Meu bota-fora pré mudança para Viçosa, onde fiz a faculdade.

Menos de seis meses foram suficientes para eu me arrepender e perceber que não queria mais aquilo. Já não me lembrava do meu cabelo natural, resolvi que o deixaria crescer e esperar toda a química sair. Passei pela transição sem saber o nome dela, não existiam grupos ou informações pela internet. Fiquei um ano com duas texturas no cabelo e vivendo com ele preso. Não foi fácil, claro, mas eu estava determinada a não voltar atrás.

Já com vários dedos de raiz cacheada, durante a transição

Já com vários dedos de raiz cacheada, durante a transição

Depois de um ano de transição fiz o meu primeiro big chop (cortei o cabelo para tirar a maior parte de química possível), que na época não foi tão grande assim porque meu cabelo já estava curto. Quando eu vi meus primeiros cachos surgirem depois disso, prometi a mim mesma que nunca mais faria nada para modificá-los. Eu os aceitei pra sempre naquele momento

Um ano depois do primeiro big chop

Um ano depois do primeiro big chop

E cá estou eu, nove anos depois disso tudo, feliz e aplaudindo de pé toda vez que vejo pessoas falando sobre deixar os cabelos naturais. Sei que transição é difícil, muuuito difícil. Mas, estudei, li e aprendi que cabelo pode ser muito mais que estética. Aceitar o seu cabelo pode ser um ato político. Por isso, toda vez que vejo uma mulher em transição na rua eu tenho vontade de dar um abraço e dizer: “Ó, vem cá! Você não tá sozinha, cara! Tô aqui, te dou força!” Como sei que isso não é possível, não dá pra abraçar todo mundo, me propus a abraçar virtualmente o máximo que conseguir.

atual

E já ia esquecendo de me apresentar: eu sou a Ana Paula, jornalista, mãe de dois gatos, e agora faço parte da equipe do Garotas Rosa Choque.

Postado por Ana Paula Nunes

Veja também

04/08/15
Tirando chumbado dos cabelos com Vitamina C

TIRANDO-CHUMBADO-DOS-CABELOS-com-vitaminaC

Pois é, cansei do cabelo cinza, de vovó, granny hair. Como diz a Kalli, eu nasci pra ter cabelo roxo, rosa, lilás e afins ahahah, ela fala como se meu cabelo fosse naturalmente dessas cores! 😀

E eu também tenho que concordar, enjoei do cinza muito rápido e fim de semana passado me deu fogo de pintar de lilás. Mas com ele cinza, qualquer cor que jogasse por cima ficaria comprometida, apagada…

Foi aí que nessa ansiedade par mudar a cor dos cabelos, mas não podendo descolorir/danificar, que encontrei em vários vídeos no youtube essa dica da vitamina C. Não tive muita fé nessa receita, porém resolvi testar e contar pra vocês se deu certo.

Para ver se funcionou, aperta o PLAY em tirando chumbado dos cabelos com vitamina C:

Peço desculpas pela forma deitada que o vídeo está, gravei para o snapchat (pinkshockgirl) e depois resolvi juntar tudo e fazer o vídeo.

Para fazer a espuma mágica você vai precisar de:

  • Vitamina C efervescente (usei 6 pastilhas no meu cabelo que é curto);
  • Shampoo anti resíduos;
  • Pote alto (usei de sorvete);
  • utensílio para amassar a vitamina (usei socador de alho).

Com a ajuda de um pente fino e das mãos apliquei a espuma em todo o comprimento dos cabelos. Deixei por 40 minutos, depois enxaguei e hidratei.

Lembrando que a receita ajuda a retirar tonalizantes e colorações de qualquer cor, seja fantasia ou não, não clareia cabelo virgem. Aconselho a sempre hidratar os cabelos após usar shampoo anti resíduos.

TIRANDO-CHUMBADO-DOS-CABELOS-com-vitaminaC

Resultado mais do que aprovado. Além de funcionar muito bem, é uma receita muito barata e fácil de fazer. Além disso, não danifica os cabelos. 😉

Alguém já testou? Quem fizer me conta heim! Ah, e qualquer dúvida, tamos ae!

beda

Postado por Helena Sá

Veja também