beleza


03/04/17
Por que eu parei de fazer as sobrancelhas

Nem sei se esse título é atrativo para um post, pois afinal, por que eu parei de fazer minhas sobrancelhas não é uma dúvida de interesse geral, acho que nem minha mãe iria querer saber.

Mas o que me fez acreditar que seria um bom tema para contar e discutir aqui com vocês? Bem, pra começar, todas as mulheres que começaram cedo à fazer sobrancelhas no salão ou em casa mesmo, já tiveram esse aglomerado de pelos que dá expressão ao rosto, deformado e desmatado por alguém. Ou já fez caca 💩 sozinha mesmo.

Também já passou por várias tendências de estilo das sobrancelhas, já achou que eram finas demais, ou que tinha muito pelo ali, que uma limpeza era necessária. A gente chega até a se sentir mais leve, com a cara limpa, o olhar mais aberto ao fazer as sobrancelhas. Assim como depilar, dá uma sensação de alívio, de faxina. E eu ainda gosto disso, da mesma forma que gosto também de não ter nisso mais uma obrigação estética imposta a nós mulheres. Vejam bem, o motivo principal da minha decisão não é feminista em si.

É por que então, fia? Bom, toda vez que vou a designer de sobrancelhas (esse nome já diz alguma coisa). Tenho que lutar pra não sair de lá com a mesma sobrancelha reta, traçada na régua, quadrada e super marcada, que é feita em todo mundo.

Mais uma vez a padronização aparece aqui, como meu terror, meu inimigo número um sim, é o padrão.

E o padrão impresso no meu rosto é ainda mais assustador pra mim, o olhar, o conjunto dos olhos, cílios, sobrancelha  são a parte mais expressiva do rosto de uma pessoa, e sobrancelhas em larga escala feitas quase em uma linha de produção, são o oposto de expressão, de atitude  estilo e personalidade. Ou seja, tudo que eu prezo pra mim como pessoa singular.

Por que eu parei de fazer as sobrancelhas

O ANTES dessa imagem acima, pra mim é muito mais bonito. O que vocês acham?

Por isso, as idas a designer pararam há alguns meses, antes disso já havia deixado minhas visitas cada vez mais esporádicas. E a decisão final veio no momento em que percebi que ao ver os antes e depois da maioria das sobrancelhas que aparecem nas propagandas desse serviço, eu em 90% dos casos, gostei mais das sobrancelhas no ANTES.

Sobrancelha marcada

Isso me fez pensar no tanto de moças que eu vejo na internet e na rua e acabo confundindo todas, pois a sobrancelha, o contorno, os lábios artificialmente carnudos, todo esse conjunto tem camuflado tudo que eu mais curto nas pessoas, que é a diversidade.

Brancas, negras, gordas, altas e baixas, todas com a mesma cara, aquele mesmo desenho quase geométrico acima dos olhos. Se tivessem saído da linha de montagem de uma boneca Barbie, não seriam tão padronizadas.

Se eu estou aqui propondo a revolução da queima das pinças, assim como já houve a do sutiã? Não, por favor, assim como pra mim sutiã é bom (tenho seios grandes), pra muitas pessoas o design de sobrancelhas é mais que útil, é necessário. Há pessoas sem pelos ali, ou com quase nada, ou grandes falhas, que se sentem bem fazendo. E eu só tenho a dizer pra essas mulheres, go girls!

Se eu estou aqui contando meus motivos, não é pra dizer que quem faz design de sobrancelhas é feia e boba, mas sim pra mostrar outros caminhos, que mais uma vez, o padrão não é o melhor pra todo mundo, que temos escolhas. 😉

A minha foi deixar minhas sobrancelhas mais livres, de vez em quando faço a famosa limpeza ao redor, força do hábito. Mas na boa, não sinto a menor falta de fazer, é menos um gasto e mais uma forma de liberdade, mesmo que nos pequenos detalhes, que encontrei pra mim. 💕

Postado por Helena Sá

Veja também

03/04/17
Por que eu parei de fazer as sobrancelhas

Nem sei se esse título é atrativo para um post, pois afinal, por que eu parei de fazer minhas sobrancelhas não é uma dúvida de interesse geral, acho que nem minha mãe iria querer saber.

Mas o que me fez acreditar que seria um bom tema para contar e discutir aqui com vocês? Bem, pra começar, todas as mulheres que começaram cedo à fazer sobrancelhas no salão ou em casa mesmo, já tiveram esse aglomerado de pelos que dá expressão ao rosto, deformado e desmatado por alguém. Ou já fez caca 💩 sozinha mesmo.

Também já passou por várias tendências de estilo das sobrancelhas, já achou que eram finas demais, ou que tinha muito pelo ali, que uma limpeza era necessária. A gente chega até a se sentir mais leve, com a cara limpa, o olhar mais aberto ao fazer as sobrancelhas. Assim como depilar, dá uma sensação de alívio, de faxina. E eu ainda gosto disso, da mesma forma que gosto também de não ter nisso mais uma obrigação estética imposta a nós mulheres. Vejam bem, o motivo principal da minha decisão não é feminista em si.

É por que então, fia? Bom, toda vez que vou a designer de sobrancelhas (esse nome já diz alguma coisa). Tenho que lutar pra não sair de lá com a mesma sobrancelha reta, traçada na régua, quadrada e super marcada, que é feita em todo mundo.

Mais uma vez a padronização aparece aqui, como meu terror, meu inimigo número um sim, é o padrão.

E o padrão impresso no meu rosto é ainda mais assustador pra mim, o olhar, o conjunto dos olhos, cílios, sobrancelha  são a parte mais expressiva do rosto de uma pessoa, e sobrancelhas em larga escala feitas quase em uma linha de produção, são o oposto de expressão, de atitude  estilo e personalidade. Ou seja, tudo que eu prezo pra mim como pessoa singular.

Por que eu parei de fazer as sobrancelhas

O ANTES dessa imagem acima, pra mim é muito mais bonito. O que vocês acham?

Por isso, as idas a designer pararam há alguns meses, antes disso já havia deixado minhas visitas cada vez mais esporádicas. E a decisão final veio no momento em que percebi que ao ver os antes e depois da maioria das sobrancelhas que aparecem nas propagandas desse serviço, eu em 90% dos casos, gostei mais das sobrancelhas no ANTES.

Sobrancelha marcada

Isso me fez pensar no tanto de moças que eu vejo na internet e na rua e acabo confundindo todas, pois a sobrancelha, o contorno, os lábios artificialmente carnudos, todo esse conjunto tem camuflado tudo que eu mais curto nas pessoas, que é a diversidade.

Brancas, negras, gordas, altas e baixas, todas com a mesma cara, aquele mesmo desenho quase geométrico acima dos olhos. Se tivessem saído da linha de montagem de uma boneca Barbie, não seriam tão padronizadas.

Se eu estou aqui propondo a revolução da queima das pinças, assim como já houve a do sutiã? Não, por favor, assim como pra mim sutiã é bom (tenho seios grandes), pra muitas pessoas o design de sobrancelhas é mais que útil, é necessário. Há pessoas sem pelos ali, ou com quase nada, ou grandes falhas, que se sentem bem fazendo. E eu só tenho a dizer pra essas mulheres, go girls!

Se eu estou aqui contando meus motivos, não é pra dizer que quem faz design de sobrancelhas é feia e boba, mas sim pra mostrar outros caminhos, que mais uma vez, o padrão não é o melhor pra todo mundo, que temos escolhas. 😉

A minha foi deixar minhas sobrancelhas mais livres, de vez em quando faço a famosa limpeza ao redor, força do hábito. Mas na boa, não sinto a menor falta de fazer, é menos um gasto e mais uma forma de liberdade, mesmo que nos pequenos detalhes, que encontrei pra mim. 💕

Postado por Helena Sá

Veja também

27/03/17
Pincéis mágicos de maquiagem

Eu tô nesse rolê de blog e maquiagem desde que isso tudo aqui era mato. Há uns sete anos as opções de pincel de maquiagem era restrita e cara, só maquiadores profissionais pensavam em ter um kit completo em casa.

Hoje em dia as coisas mudaram e melhoraram muito. Tem pincel nacional bom e acessível, tem pincel caro, tem colorido, tem de todos os jeitos. E o que mais tem me encantado são pincéis com design e cores temáticas e diferentes.

Eu tenho pincéis Sigma e Coastal Scents ainda funcionais, eles são realmente bons porque já foram lavados milhares de vezes e estão como novos. Mas andei dando uma volta no Pinterest e encontrei tantos modelos novos lindos e diferentes, que a vontade de renovar meu kit tá dando comichão.

Por isso fiz essa seleção com os pincéis mais lindos que encontrei, inclusive todos no Aliexpress.

Pincéis de unicórnio

Esse modelo com cabo que imita chifres de unicórnio é muito maravilhoso. Tem em várias cores e tem um preço bem amigo. 🦄

Pincel Harry potter

Quem é daquele fã de Harry Potter que tem tudo temático dos livros e filmes, esse kit de olhos tá perfeito. 🦉

Pincéis mágicos

Esse modelo flat muito bom pra contorno e iluminação, com esse rabo de peixe tá me fazendo sofrer de amor. E indecisão também, porque não sei qual deles escolher. 🐟

Pincel sereia

 

Tinha que ter um kit com rabo de sereia furta cor? Sim! Muito essencial pra vida uma coisa dessas. 🐚💜

Pincéis mágicos

Mas o que eu to querendo realmente investir é nesse kit com pincéis escovinha. Desde que começaram a pipocar esses modelos na internet, que eu tava curiosa pra usar. É um modelo anatômico específico pra uso pessoal, pois fica incômodo pra maquiagem profissional. Agora que vi esse modelo com essa cor maravilhosa, animei a encomendar o meu. 🌈💕

Como eu disse, eles todos estão no Aliexpress, deixei link Grifado no texto, é só clicar.

Alguém me fala se eu tô sozinha no amor? E quem tiver mais modelos lindos na wish list, por favor me conta! 😉

 

Postado por Helena Sá

Veja também

01/07/16
Impala Nail Spray

impala nail spray

A Impala lançou a linha Nail Spray, são sprays de tinta, tipo os de grafite, só que para unhas. Desde que vi, fiquei curiosa para testar, saber se seria mais prático e se funcionaria tão bem quanto um esmalte comum.

Pois a marca enviou uma amostra aqui pra casa, e na mesma hora eu já fui testar, cheguei a mostrar em tempo real no snapchat, aproveitei e fiz umas fotos do passo a passo e do resultado para vocês.

impala-nail-spray

Quando eu fiz no primeiro dedo, não prestei atenção nas instruções e apliquei o spray muito de perto, dai acumulou e não deu certo, mas depois peguei o jeito e não errei mais.

nail-spray-passo-a-passo

A cor que veio pra mim foi o Rosa Pink, (acho que alguém lá na marca lê o blog 😅). Ele é um rosa bem vivo e com acabamento metálico, muito bonito.

Aprovei o produto por alguns motivos:

  • Eu não sei fazer minhas unhas, e com esse spray eu consegui, mesmo sem tirar as cutículas, deixei as unhas bem feitas, pois tenho a cutícula bem fina;
  • Deu muito menos trabalho do que uma esmaltação comum, você pula etapas como a limpeza com o palitinho com algodão embebido em acetona no final;
  • Se você aplicar o verniz protetor apenas nas unhas, prestando atenção para não escorrer, e limpando muito bem caso escorra para o dedo, no final toda a tinta que pegou na pele, sai com água e sabão facilmente.

Quanto a duração do produto nas unhas, fiz há 4 dias,  e só agora começou a descascar as pontinhas. Isso eu lavando louça e fazendo a faxina, admito.

Para mim que não sei fazer minhas unhas e que tenho a maior preguiça de ir ao salão, esse spray vai ser uma salvação. Quero inclusive comprar numa cor mais discreta pra poder usar sempre.

O preço não é bolinho, R$27,90, mas no meu caso que não sei fazer as unhas da forma convencional, e para quem não tem tempo para manicure, vale muito a pena. E se você for pensar, o preço do kit é o correspondente a 2 idas ao salão para fazer as mãos, e com 50 ml, o Nail Spray vai durar 4 aplicações, segundo o release da marca. 😉

UPDATE: Tem outras 5 cores, preto, azul escuro, prata, roxo e branco, se não me engano.

Eu curti, alguém mais já usou?

Postado por Helena Sá

Veja também

13/06/16
Técnica para secar e definir os cachos

Com esse frio todo que está fazendo nos últimos dias, lavar o cabelo pode ser uma tarefa nada fácil, principalmente, se você não tiver um secador para secá-los pós-lavagem. Bom, eu como uma típica cacheada sempre torci o nariz para o secador e demorei muito para ter um em casa. E nesses dias frios a solução sempre foi sair de manhã com cabeça molhada mesmo. Não era fácil, imaginem só quanta dor de garganta eu poderia ter evitado?

Hoje as cacheadas sabem que secar o cabelo com o difusor não causa danos e também não desmancham os cachos. Mas, eu confesso que só uso o meu quando realmente preciso, ainda prefiro o resultado da secagem natural dos fios. Porém, o meu apartamento aqui em Viçosa é muito frio e ficar com o cabelo molhado esperando ele secar não é está sendo fácil.

Por isso, tenho usado muito a técnica para secar e definir os cachos chamada Plopping ou Plunking, que ajuda a definir os cachos:

1. Finalizar o seu cabelo como de costume (quando faço a técnica prefiro usar sempre um gel depois do creme para pentear. No momento, estou usando o G-Gelatina da Capicilin)
2. Estender uma camiseta, ou qualquer outra peça de algodão, na sua cama.
3. Virar a cabeça para baixo (eu já finalizo meu cabelo assim porque me dá mais volume) e acomodar os cachos em cima da camiseta
4. Cobrir todo o cabelo com a camiseta como se fosse fazer uma touca ou um turbante e torça as pontas.

A imagem que eu encontrei deixa a explicação mais clara.

plopping

Deixe o tempo que você achar necessário, eu costumo deixar por volta de 1h 30 ou mais, e meus cabelos saem praticamente secos. Depois que tirar a camiseta, vale a pena dar aquela sacudida pra frente e para os lados para dar aquele volume feliz. Se você gostar de volume, claro. E pronto, cachos definidos e sem frizz.

P.S.: Se você ajeitar na hora que coloca os cachos sobre a camiseta eles não ficam amassados quando você retirá-la. Vai ser só sucesso e sem cabelo molhado na nuca nesse frio. 😉

Postado por Ana Paula Nunes

Veja também

17/05/16
Deixar o cabelo solto é revolução

cabelo solto

Para as garotas de transição, que sabem como é difícil não se render ao elástico e deixar o cabelo preso permanentemente. E principalmente, para as garotas que o cabelo na rua chama atenção, e que sabem que o cabelo solto é revolução, eu dedico essas palavras.

cabelo solto é revolução
As horas passam
Não tem mais definição
A insegurança vem, as nóias também
O frizz taí, não dá pra fingir
Você resiste, tenta insistir
Não prender também é resistência!
Onde você aprendeu que cabelo crespo é indecência?
Deixa assim.
Será que tão olhando pra mim?
Será que é rejeição?
Acho que não é aprovação.
Só hoje, mais um pouco.
E amanhã começa tudo de novo.
É diário, é rotina.
É um trabalho árduo pra manter a autoestima.

Postado por Ana Paula Nunes

Veja também

25/04/16
O Manual da Garota Cacheada

O Método Curly GirlNo fim do ano passado eu resolvi me dar de presente o livro “O manual da garota cacheada – O Método Curly Girl”. Logo que fiz meu corte na Clínica de Cachos, onde usam o método Deva Cut, eu me interessei mais pelo tema e assim que achei o livro em português e por um preço bacana, não pensei duas vezes.

O livro foi escrito pela Lorraine Massey, proprietária da marca DevaCurl e quem desenvolveu a técnica Low-Poo e No-Poo. Falei tanto da marca quanto da técnica quando contei do meu corte aqui. Em resumo, a técnica é uma forma de usar menos química e também agredir menos os cabelos cacheados que tendem a ser mais frágeis e ressecados.

Demorei a começar a ler e confesso que estava receosa, achando que o livro seria apenas um amontoado de dicas e propaganda sobre os produtos da marca. Mas, ainda bem que quebrei a cara. O livro é didático e leve, no comecinho a Lorraine conta sobre a sua história e as dificuldades de ser a única cacheada numa família de pessoas lisas, e também de como isso foi definidor para que ela seguisse carreira como cabeleireira.

Além de dicas e receitas, são apresentadas, ao longo do livro, diversas histórias de mulheres cacheadas e suas relações com os cabelos. Sempre deixando que a aceitação é extremamente importante para ter cabelos naturais saudáveis e bonitos.

Ainda pretendo falar mais sobre o livro, principalmente conforme eu for testando as dicas e receitas. Mas, já queria dizer que a Lorraine traz uma classificação super legal dos tipos de cachos. É diferente do que vemos pela internet. Para as meninas que querem identificar qual é o seu tipo de cachos, acompanhem aí.

Ela considera que existem seis tipos de cachos e classifica através do fator encolhimento, ou seja, “a diferença entre o comprimento de um cacho em seu caimento natural e quando é completamente esticado”. E para saber isso basta pegar uma régua e medir uma mecha do seu cabelo seco natural e a mesma mecha de cabelo totalmente esticada. A diferença que der é o seu fator encolhimento.

– 23 a 20 centímetros: fractal ou zigzag

– 23 a 30 centímetros: corscrew (saca-rolhas)

– 15 a 25 centímetros: corkicelli e cherub (querubim)

– 13 a 20 centímetros: botticelli

– 5 a 10 centímetros: ondulado

– 2,5 a 5 centímetros: ondulado em S

O manual da garota cacheada

O fator encolhimento do meu cabelo, por exemplo, deu 15 centímetros. Então, tenho cachos querubim.  Padrões variados de cachos ao longo do cabelo. Ela descreve esse tipo de cacho como sendo mais seco e com alto fator de frizz (sad but true). É um cabelo que se mantém cacheado em todas as estações e que também pode parecer mais curto ou mais comprido de acordo com o clima e a umidade.

E você? Qual é seu tipo de cacho? Conta pra mim!

 

Postado por Ana Paula Nunes

Veja também