Café com leite dos blogs de moda

Lembra quando você era pequeno e queria brincar de pique com os coleguinhas que eram mais velhos uns dois ou três anos? Sempre falavam: “pode brincar, mas vai ser café com leite.” O que significava que você era só enfeite no jogo, não valia pegar e você nunca podia participar da brincadeira de verdade.

Pois é assim que você se sente quando tem um blog de moda e é gorda. Acredito também que as blogueiras negras passem por isso. Você pode entrar na brincadeira, mas não está realmente no jogo. Você pode ter seu blog, (porque afinal qualquer um pode abrir um blog/canal/instagram) mas não interessa se você produz um bom conteúdo, se faz fotos de qualidade, tem estilo e tem algo relevante pra dizer.

Você nunca vai estar de igual pra igual sequer com a mais medíocre das blogueiras padrão.

”Você não está exagerando, se desculpando ou sendo vitimista?”

Bem, existem blogueiras de moda plus size que se destacam, como por exemplo a Ju Romano, que é referência até mesmo fora do nicho. Mas para além de ela ser um caso super isolado, levou muito tempo para chegar aonde está, e tem conteúdo e estilo para estar de igual para os maiores blogs do país, e não está. E sinceramente não sei se um dia estará. A Ju já foi capa de revista grande, é chamada para grandes campanhas, estava em alta trazer diversidade e ela entrava ali junto com as Youtubers negras e trans. Mas fora preencher essa “cota diversidade”, quando é pra estrelar algo, pra ter O destaque, não cogitam nunca uma gorda. (Essa é a minha percepção como consumidora do conteúdo e como profissional da área)

E falando aqui do meu lugarzinho de pequena criadora de conteúdo, que tem blog há anos, a gente vê o povo padrão que não produz e não chega nem perto em qualidade e até mesmo engajamento, pegar as oportunidades, ter espaço, ter destaque, e passar por nós dando tchauzinho. 💩

Mas se estou num nicho, por que reclamo de não ter espaço fora dele?

Porque além de gorda, eu sou também mulher, sou consumidora de moda, falo de outros temas aqui no blog e nas minhas redes. Então, nada mais natural do que meu conteúdo interessar e atingir muito além de um micro nicho como é o plus size.

Mulheres em geral gostam do meu conteúdo, magras, altas, gordas…isso é um fato que comprovo todos os dias, pessoas de todos os biotipos entram em contato e se mostram consumidoras do que eu entrego.

O nicho plus size de moda e de Web cresceu muito, hoje em dia tem um público grande, cada vez mais ávido por conteúdo de qualidade voltado para as mulheres gordas. E eu fico muito feliz de atender esse perfil de público, de ver que essa mulheres se identificam comigo e consomem o meu trabalho.

E eu não estaria aqui tocando nesse tema se não fosse por elas. 💜

Acredito que quando a blogueira/“influenciadora”/youtuber gorda puder estar de igual pra igual com o mercado padrão, sendo referência de estilo. Esse público do nicho plus size vai realmente se sentir representado. Não apenas estar em um gueto.

Por enquanto no mercado de moda e de influência de moda, nós somos infelizmente café com leite. Nossos editoriais são bonitinhos e estilosos para uma gorda ter feito. Nós temos um conteúdo legal, se levar em conta que uma gorda escreveu/falou sobre o assunto. Seremos chamadas pra cumprir figuração em campanhas que vendem representatividade.

Fico feliz com as conquistas que mulheres como a Flávia Durante trouxe para a moda plus size, torço pra que eventos como o Pop Plus tenham apoio e reconhecimento de grandes marcas, agências, mídia… que sejam referência não apenas porque tem roupa que serve em gordos, mas também referência de estilo, de moda, de circulação de dinheiro. E que com isso nós blogueiras sejamos também mais respeitadas dentro e fora do nicho.

Por enquanto, tenho pequenas vitórias todos os dias, a maioria trazidas pelo público que me acompanha, respeita, admira meu trabalho, e que faz questão de vir me falar isso sempre.💜

Mas infelizmente a gente precisa de mais do que isso pra ter o trabalho reconhecido quando se é uma mulher gorda no nicho de moda.

E o exercício que eu mais gosto de propor para as pessoas que tem dúvida disso é o seguinte:

Procure perceber o que a blogueira padrão que você acompanha, o que ela produz, você curte o trabalho dela ou apenas a aparência física e a ostentação de coisas? Agora pense se você estaria me acompanhando se eu baseasse meu trabalho apenas na minha aparência, se você estaria aqui nesse blog agora. 🤔

Diga o que achou do post

Helena Sá

More about Helena Sá

A Garota Rosa Choque, treinadora de unicórnios, adora colorir a pele e os cabelos. Humana do Jimmy, canceriana em sol e ascendente. Don’t cal me flor, amor, querida...

Comments

  1. Responder

    Amo seu conteúdo, principalmente os looks, não gosto de ficar repetindo pra não parecer que sou sua puxa saco, mas fazer o quê se o conteúdo é mara e você é f***!!! Fico chateada vendo conteúdo meia boca ganhando mais espaço só porque é a “blogueirinha famosa”, tem muita gente fazendo coisa muito melhor por aí e não têm o mesmo espaço. Tenho pesquisado muitas mulheres gordas maravilhosas pra seguir no Insta e me inspirar em looks principalmente, e vejo cada produção maravilhosa e com pouco alcance…

    1. Helena Sá
      Responder

      Obrigada Débora, na verdade minha esperança de que as coisas mudem está em pessoas como você, que avaliam muito mais do que apenas aparência para consumir conteúdo online. Espero que seja uma tendência, de uma novo caminho que estamos trilhando.

  2. Responder

    Eu vejo tanta gente passando pano pra produtor de conteúdo ruim só porque a pessoa tem todo o estereótipo de sucesso que me dói o coração! O trabalho e a dedicação na grande maioria das vezes é ignorado e o que conta é a aparência, é isso que vende. Mas o que importa é que tem gente bacana como você que está tentando mudar isso! Pouco a pouco a gente chega lá 🙂

    1. Helena Sá

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *