03/04/17
Por que eu parei de fazer as sobrancelhas

Nem sei se esse título é atrativo para um post, pois afinal, por que eu parei de fazer minhas sobrancelhas não é uma dúvida de interesse geral, acho que nem minha mãe iria querer saber.

Mas o que me fez acreditar que seria um bom tema para contar e discutir aqui com vocês? Bem, pra começar, todas as mulheres que começaram cedo à fazer sobrancelhas no salão ou em casa mesmo, já tiveram esse aglomerado de pelos que dá expressão ao rosto, deformado e desmatado por alguém. Ou já fez caca 💩 sozinha mesmo.

Também já passou por várias tendências de estilo das sobrancelhas, já achou que eram finas demais, ou que tinha muito pelo ali, que uma limpeza era necessária. A gente chega até a se sentir mais leve, com a cara limpa, o olhar mais aberto ao fazer as sobrancelhas. Assim como depilar, dá uma sensação de alívio, de faxina. E eu ainda gosto disso, da mesma forma que gosto também de não ter nisso mais uma obrigação estética imposta a nós mulheres. Vejam bem, o motivo principal da minha decisão não é feminista em si.

É por que então, fia? Bom, toda vez que vou a designer de sobrancelhas (esse nome já diz alguma coisa). Tenho que lutar pra não sair de lá com a mesma sobrancelha reta, traçada na régua, quadrada e super marcada, que é feita em todo mundo.

Mais uma vez a padronização aparece aqui, como meu terror, meu inimigo número um sim, é o padrão.

E o padrão impresso no meu rosto é ainda mais assustador pra mim, o olhar, o conjunto dos olhos, cílios, sobrancelha  são a parte mais expressiva do rosto de uma pessoa, e sobrancelhas em larga escala feitas quase em uma linha de produção, são o oposto de expressão, de atitude  estilo e personalidade. Ou seja, tudo que eu prezo pra mim como pessoa singular.

Por que eu parei de fazer as sobrancelhas

O ANTES dessa imagem acima, pra mim é muito mais bonito. O que vocês acham?

Por isso, as idas a designer pararam há alguns meses, antes disso já havia deixado minhas visitas cada vez mais esporádicas. E a decisão final veio no momento em que percebi que ao ver os antes e depois da maioria das sobrancelhas que aparecem nas propagandas desse serviço, eu em 90% dos casos, gostei mais das sobrancelhas no ANTES.

Sobrancelha marcada

Isso me fez pensar no tanto de moças que eu vejo na internet e na rua e acabo confundindo todas, pois a sobrancelha, o contorno, os lábios artificialmente carnudos, todo esse conjunto tem camuflado tudo que eu mais curto nas pessoas, que é a diversidade.

Brancas, negras, gordas, altas e baixas, todas com a mesma cara, aquele mesmo desenho quase geométrico acima dos olhos. Se tivessem saído da linha de montagem de uma boneca Barbie, não seriam tão padronizadas.

Se eu estou aqui propondo a revolução da queima das pinças, assim como já houve a do sutiã? Não, por favor, assim como pra mim sutiã é bom (tenho seios grandes), pra muitas pessoas o design de sobrancelhas é mais que útil, é necessário. Há pessoas sem pelos ali, ou com quase nada, ou grandes falhas, que se sentem bem fazendo. E eu só tenho a dizer pra essas mulheres, go girls!

Se eu estou aqui contando meus motivos, não é pra dizer que quem faz design de sobrancelhas é feia e boba, mas sim pra mostrar outros caminhos, que mais uma vez, o padrão não é o melhor pra todo mundo, que temos escolhas. 😉

A minha foi deixar minhas sobrancelhas mais livres, de vez em quando faço a famosa limpeza ao redor, força do hábito. Mas na boa, não sinto a menor falta de fazer, é menos um gasto e mais uma forma de liberdade, mesmo que nos pequenos detalhes, que encontrei pra mim. 💕

Helena SáPostado por Helena Sá

Veja também


2 comentários em “Por que eu parei de fazer as sobrancelhas”

Deixe um comentário